Sub-categorias

Notícia

Família culpa médica por morte de menor com sarampo

Inês Sampaio, de 17 anos, que morreu com sarampo, sofria de psoríase e foi aconselhada a não ser vacinada.
Por Débora Carvalho, João Saramago e Ana Botto|20.04.17
A família da jovem de 17 anos que morreu, ontem, no Hospital Dona Estefânia, em Lisboa, onde foi internada com sarampo, nega ter sido negligente e garante que a adolescente só não foi vacinada contra o vírus devido a problemas de saúde.

Ao que o CM apurou, Inês Sampaio terá sofrido um choque anafilático com outra vacina, ainda bebé, e, por isso, a família garante que foi aconselhada por uma médica a não vacinar a jovem contra o vírus do sarampo.

Carlos Faria, um familiar de Inês, explicou ao CM que a adolescente sofria de psoríase - doença da pele que causa vermelhidão e irritação - e que, face às reações alérgicas, não terá cumprido o Programa Nacional de Vacinação, mas por conselho médico.

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
Comentário mais votadoEscreva o seu comentário
  • De amilcar.rebelo20.04.17
    Creio que não se pode acusar nem a medica de negligencia nem os pais, porque pelo que é conhecido a menina sofria de psoriase que é uma doença auto imune, que tem origem numa disfunçaõ do tymo porque é neste orgão que os linfocitos amadurecem para combater as infecções, ficando com pouca imunidade
1 Comentário
  • De amilcar.rebelo
    Creio que não se pode acusar nem a medica de negligencia nem os pais, porque pelo que é conhecido a menina sofria de psoriase que é uma doença auto imune, que tem origem numa disfunçaõ do tymo porque é neste orgão que os linfocitos amadurecem para combater as infecções, ficando com pouca imunidade
    Responder
     
     0
    !

Mais notícias

Mais notícias de Portugal

pub