Vizinhos indignados com homicida em casa

Margarida Rolo poderá passar de prisão preventiva a domiciliária e ficar a tratar dos filhos.
Por José Durão|23.08.18
A possibilidade de Margarida Rolo, 43 anos, voltar para casa, com vigilância eletrónica, na Chainça, Abrantes, depois de confessar à PJ ter assassinado o marido, José Duarte, 51, com uma faca e um martelo, na quinta-feira, está a indignar os vizinhos.

Mais do que temer a presença da arguida - os moradores descrevem o casal como "recatado", com poucas relações próximas - a principal preocupação prende-se com os dois filhos do casal, de 11 e 14 anos, que estão com a avó materna na casa onde foi o crime.

Fernanda Pedro, moradora, discorda da decisão do tribunal do Entroncamento em permitir que a homicida regresse a casa e fique com os filhos. "Se foi ela que o matou, não estava bem da cabeça", diz. "Acho que não deve vir para casa. Mas se vier, que levem os filhos para uma instituição ou para os padrinhos", acrescenta.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!