Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
8

Dulce Pontes abre coração em Elvas

Dulce Pontes preparava-se para interpretar a última música do concerto, anteontem no Coliseu de Elvas, quando da plateia se ouviu um sonoro pedido: “Lágrima!Canta Lágrima!” A cantora, cujo concerto se destinava a apresentar o novo álbum, ‘O Coração Tem Três Portas’, olhou para os músicos em sinal de concordância e fez a vontade ao público que minutos antes a tinha aplaudido de pé.
27 de Novembro de 2006 às 00:00
Dulce Pontes começou o concerto em Elvas acompanhando-se ao piano
Dulce Pontes começou o concerto em Elvas acompanhando-se ao piano FOTO: Manuel Costelas
Depois, encerrou o espectáculo com ‘Canção do Mar’, o grande êxito que a projectou internacionalmente e integrou, em 1996, a banda sonora do filme ‘A Raiz do Medo’, com Richard Gere, um fã desde então.
Para trás ficaram mais de duas horas de espectáculo em que Dulce interpretou algumas das músicas do primeiro álbum inteiramente produzido por si e que será lançado dia 4 de Dezembro.
Neste trabalho – composto por dois CD e um DVD que regista as gravações na Igreja de Sta. Maria, em Óbidos, no Convento de Cristo, em Tomar, e um concerto em Istambul (Turquia) – são apresentadas, tal como a própria referiu ao CM, “as três portas de um coração português” e proposta uma viagem pelo fado, folclore/música popular portuguesa e pela música de inspiração medieval/fado de Coimbra.
Um conjunto de sonoridades que foi muito do agrado das cerca de quatro mil pessoas que esgotaram o novo pavilhão multiusos da cidade raiana de Elvas, metade das quais de nacionalidade espanhola.
“Achei que foi um espectáculo curto porque ela canta tão bem que nunca cansa ouvi-la”, confessou Glória Jesus, uma espanhola residente em Badajoz que não quis perder a oportunidade de ver com o marido o primeiro concerto de uma das cantoras portuguesas mais conhecidas no país vizinho.
“Mariza e os Madredeus são também muito conhecidos. Mas tenho é os discos todos da Dulce”, salientou esta mulher, que aproveitou a oportunidade para, após o espectáculo, adquirir o novo disco da cantora montijense de quem obteve um autógrafo.
DISCOGRAFIA COMPLETA
Dulce Pontes, acompanhada por sete músicos, começou o concerto ao piano e depois encheu o palco criando várias atmosferas e coreografias tradicionais e vanguardistas. Interpretou músicas de Zeca Afonso, homenageou a fadista Hermínia Silva e o falecido poeta João Mendonça, desabafando para a plateia que hoje “é raro encontrar boas pessoas”.
Na primeira fila estava, além do autarca local, Rondão Almeida, o comendador e proprietário da empresa Delta Cafés, Rui Nabeiro, um fã confesso da artista. “Foi um espectáculo lindo de uma artista que muito aprecio. Tenho discos dela em todos os carros porque a sua voz dá-me tranquilidade e força e ajuda-me a fazer as viagens”, explicou ao CM. José Dias, elevense, estava também agradado com o novo trabalho da cantora. “São músicas bonitas e gostei imenso do concerto”, declarou momentos antes de se apressar a conseguir um autógrafo.
"É UMA NOTÍCIA FALSA" (Dulce Pontes, cantora)
Correio da Manhã – Confirma que vai ter um novo dueto, desta vez com a soprano espanhola Montserrat Caballé?
Dulce Pontes – É uma notícia falsa. Ela já me recebeu na sua casa em Barcelona e vamos estar juntas numa ocasião em 2007. Não sei se vamos gravar, mas não me importava de o fazer...
– Como nasceu este novo disco e porque o apresentou em Elvas?
– Já tinha as sonoridades pensadas há algum tempo. É uma viagem pelo fado, folclore e música tradicional. Tive a oportunidade de vir a Elvas e ao interior do País, região pela qual tenho um grande carinho.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)