Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
3

ESTREIA DUPLA NOS NACIONAIS

Enquanto o Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, estreia hoje as “Barcas” de Gil Vicente, numa encenação que o italiano Giorgio Corsetti assinou em 2000, o S. João do Porto começa também a apresentar, a partir desta noite, “O Triunfo do Amor”, peça de Marivaux que Maria João Brilhante traduziu e que surge em palco numa encenação de João Pedro Vaz.
9 de Outubro de 2002 às 21:45
Não há engano. É o mesmo actor que encantou a capital com a sua interpretação em “Peer Gynt”, de Ibsen, direcção de João Lourenço para o Teatro Aberto.
No entanto, apesar de muito jovem (João Pedro Vaz nasceu em 1974), esta já não é a sua primeira encenação. Antes, tinha dirigido peças de Maria G. Llansol e Amílcar V. Dias, Martin Crimp e Marguerite Duras. “O Triunfo do Amor” estará em cena até dia 27 deste mês.

Quanto a “Barcas”, que no palco do D. Maria II foi remontado por João Grosso, tem nos papéis principais o mesmo João Grosso e Glória de Matos. O primeiro veste a pele do Diabo que quer arrecadar almas para o Inferno, a segunda é o Anjo que só levará para o Céu quem realmente merecer. Ou seja, não vai ter muitos clientes, neste espectáculo que estará em cena até 29 de Novembro.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)