Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
4

Historiador nacional Joaquim Veríssimo Serrão morre aos 95 anos

Filho destaca legado de um “historiador, pedagogo, investigador e académico”, com uma vasta obra publicada.
Carolina Cunha 2 de Agosto de 2020 às 09:22
Historiador nacional Joaquim Veríssimo Serrão morre aos 95 anos
Historiador nacional Joaquim Veríssimo Serrão morre aos 95 anos FOTO: Direitos Reservados
O historiador Joaquim Veríssimo Serrão morreu na última sexta-feira, aos 95 anos, no lar onde residia, em Santarém. A notícia foi confirmada pelo filho, Vítor Serrão, que revelou que o pai lutava contra uma doença há algum tempo. “O meu pai, que estava doente há vários anos, foi um eminente historiador, pedagogo, investigador e académico que deixa uma obra monumental, como a ‘História de Portugal’ da Editorial Verbo, que contribuiu para renovar a historiografia em Portugal e formar muitos jovens investigadores”, destacou.

Segundo Vítor Serrão, o legado que fica da obra do pai, “além da abundante bibliografia, é, justamente, a marca pedagógica, porque formou uma quantidade de alunos, incluindo futuros investigadores, arquivistas, gente ligada à Cultura, com que teve o privilégio de conviver ”.

Autor de uma vasta obra historiográfica, na qual se destaca a ‘História de Portugal’ em 19 volumes, obra que concluiu há quase uma década, Joaquim Veríssimo Serrão dedicou especial atenção à participação dos humanistas portugueses na cultura europeia do século XVI, à formação do Brasil e à história local, sobretudo de Santarém, o seu concelho natal, onde veio a morrer. Joaquim Veríssimo Serrão nasceu em Tremês, no Ribatejo, a 8 de julho de 1925, licenciou-se em Ciências Histórico-Filosóficas pela Universidade de Coimbra, em 1948. As cerimónias fúnebres realizam-se amanhã, pelas 9h30, em Santarém, na Igreja da Piedade.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)