Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
3

Ricky actuou lesionado

Só mesmo o profissionalismo de um artista como Ricky Martin permitiu que a sua mais recente digressão, ‘Black & White’, chegasse a Portugal. O artista, que na semana passada, durante um espectáculo no México, contraiu uma lesão nas costas de média gravidade, furou os conselhos dos médicos e subiu ao palco do Pavilhão Atlântico, em Lisboa, no sábado à noite.
2 de Julho de 2007 às 00:00
Ricky actuou lesionado
Ricky actuou lesionado
De acordo com fonte próxima do Ricky Martin, este viajou para Portugal com um massagista pessoal que lhe fez duas sessões de tratamento, uma antes e outra no final do espectáculo.
“Depois de se ter lesionado no México consultou um especialista nos Estados Unidos que lhe recomendou três meses de repouso absoluto, mas ele decidiu não cancelar a digressão”, revelou aquela fonte.
A verdade é que durante o espectáculo pouco ou nada se notou das limitações do artista que, a meio da actuação, até chegou a dançar capoeira, estilo de dança brasileira que obriga a uma enorme elasticidade corporal.
De resto, não tivessem sido alguns problemas de som sentidos em diversos momentos do espectáculos e em alguns locais da sala, o concerto de Ricky Martin teria sido perfeito.
Os problemas de som ter-se-ão ficado a dever a questões de montagem, também responsáveis pelo atraso de uma hora no início do espectáculo. Ao que o ‘CM’ apurou, o material chegou a Lisboa com cinco horas de atraso e o palco, por exemplo, só acabou de ser montado pouco antes da abertura das portas, às 21h00, pelo que o cantor nem sequer teve tempo de fazer o habitual ensaio de som.
Ainda assim, justiça seja feita, refira-se que quem acorreu ao espectáculo de estreia de Ricky Martin em Portugal pôde ver uma das maiores produções algumas vez montadas no Atlântico – de palcos elevatórios a passadeiras rolantes, até ecrãs gigantes, cenários futuristas, jogos de luzes, bailarinos e bailarinas.
Problemas à parte, Ricky Martin nunca deixou cair por terra o estatuto de maior sex symbol da América Latina e, perante cerca de 13 mil pessoas e durante duas horas, nunca se poupou nas manobras de sensualidade.
Especialmente vocacionado para o público feminino, o espectáculo de Ricky Martin fez a vida ‘loca’ à fãs e deixou-as em verdadeiro suspiro colectivo, num efeito muito semelhante ao que Beyoncé terá provocado junto dos homens aquando da recente passagem por Lisboa.
O cantor, que atingiu os dois pontos altos do espectáculo quando interpretou ‘Livin La Vida Loca’ e ‘La Copa de la Vida’, dirigiu-se por várias vezes ao público em português (do Brasil), pediu desculpa por ter demorado tanto tempo a vir a Portugal, falou de Lisboa, da noite, da música e do amor como solução para todos os problemas. “Sou um privilegiado e só tenho de dar graças pela vida que tenho”, lançou. Logo no início do concerto garantiu que vinha até nós para “deixar a alma em palco”, mas a verdade é que deixou muito mais. Acima de tudo, muito suor. Mesmo com uma lesão nas costas.
"VOU TER DE VOLTAR EM BREVE"
No final do espectáculo Ricky Martin era um artista feliz. “Ele foi apanhado de surpresa. Não estava à espera de uma reacção tão calorosa por parte do público”, confidenciou ao CM um responsável da editora do artista, a Sony/BMG. O espectáculo que marcou a estreia do cantor porto-riquenho em Portugal levou ao Atlântico algumas figuras públicas entre as quais a actriz Patrícia Tavares, o cantor Mickael Carreira e o jogador de futebol Cristiano Ronaldo (mais noticiário na pág. 45).
Ricky Martin terá ficado tão satisfeito com a sua estreia entre nós que mal deixou o palco comentou: “Tenho de voltar em breve.” Nesta passagem pelo nosso país, Ricky Martin não fez qualquer tipo de exigência e até o camarim que ocupou era do mais simples possível. Antes de subir ao palco fez apenas uma sessão de yoga.
Ver comentários