Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

HESITAÇÃO FATAL

Figo foi anjo e demónio no jogo da 5.ª jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões, frente ao Bayer Leverkusen. Primeiro ‘inventou’ uma jogada de sonho para uma conclusão infantil de Raúl, no golo madridista (1-1) e pouco depois deitou tudo a perder, sob a forma de um penálti desperdiçado, situação que coloca o Real Madrid em maus lençóis, nas contas do apuramento para a fase seguinte da competição.
26 de Novembro de 2004 às 00:00
Adeptos elegem Figo como o melhor galáctico em 2003-2004
Adeptos elegem Figo como o melhor galáctico em 2003-2004 FOTO: Sergio Perez/Reuters
O português já veio a público explicar-se. Após ter recebido mais um prémio, o de ‘Jogador mais regular do Real Madrid em 2003/04’, outorgado por uma filial, Figo revelou ter “mudado de ideias no último instante”, antes do remate. Resultado: o guardião alemão Butt adivinhou-lhe o pensamento e deteve o remate de pé direito. Caso tivesse sido golo, o Real Madrid praticamente garantia uma vaga nos oitavos de final.
Apesar do falhanço, em momento-chave, Figo continuará a assumir a marcação dos pontapés de grande penalidade. A equipa técnica e os adeptos continuam a confiar no talento e no forte carácter do seu número 10, que em 35 penáltis cobrados desde que chegou a Madrid apenas desperdiçou seis. O próprio jogador assume a vontade de continuar a correr para a marca dos nove metros, sempre que os árbitros concedam penálti a favor do Real.
Quanto ao destino dos ‘merengues’ na Liga dos Campeões, Figo volta a mostrar toda a sua determinação e assegura aos adeptos que o Real Madrid vai seguir em frente: “Ganhamos em Roma... e já está”. Assim mesmo, tão fácil como saltar à corda. Segundo Figo, claro...
Entretanto, no rescaldo do jogo entre o Real Madrid-Bayer Leverkusen releva ainda outro facto, mais polémico, e que tem a ver com alegadas manifestações de racismo. A denúncia partiu do brasileiro Roque Júnior, jogador da equipa germânica, que assegura ter sido hostilizado por adeptos do Real, no decorrer do jogo. “Uma parte dos torcedores imitavam macacos sempre que eu tocava na bola”, queixou-se. A UEFA promete investigar.
Ver comentários