Juiz autoriza a PSP a usar a força para impedir AG de 17 de Junho

Magistrado ameaça comissão transitória com um eventual crime de desobediência qualificada.
14.06.18
O juiz que decretou esta quinta-feira a providência cautelar para impedir a realização de uma Assebleia Geral do Sporting, convocada pela comissão transitória, para dia 17 foi claro ao determinar " suspensão imediata das Assembleias Gerais do Sporting Clube de Portugal convocadas pela "Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral" para o dia 17 de Junho de 2018 e para o dia 21 de Julho de 2018, ambas a decorrer nas instalações do Pavilhão João Rocha, sito na Rua Francisco Stromp, em Lisboa", de acordo com o texto da decisão, a que a SÁBADO teve acesso.

Segundo o documento, o magistrado judicial que aceitou o pedido de Jaime Marta Soares, deixa uma ameça ao membros da comissão: "Mais ordeno a intimação de todos os requeridos SPORTING CLUBE DE PORTUGAL, ELSA TIAGO JUDAS, BERNARDO TRINDADE BARROS e YASSIN NADIR NOBRE a não realizar as Assembleias Gerais referidas na alínea anterior, sob pena de incorrerem na pena aplicável ao crime de desobediência qualificada por infringirem a providência cautelar decretada"

Com uma reunião agendada pela comissão transitória agendada para o próximo domingo, a decisão do tribunal ordena ainda à PSP para "providenciar pelo cumprimento integral da presente providência cautelar, impedindo a realização das Assembleias Gerais acima referidas, incluindo a Assembleia-Geral agendada para o próximo dia 17 de Junho de 2018, utilizando as medidas coercivas que entenda adequadas e necessárias para o efeito".

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!