Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

‘Orelhas’ detido por tiros no Porto

Marco Gonçalves, o jogador do Canelas que agrediu o árbitro à joelhada, já esteve preso por tiroteio.
Aureliana Gomes e Tânia Laranjo 5 de Abril de 2017 às 01:30
Marco Gonçalves abandona o jogo Rio Tinto-Canelas sob escolta policial, após agredir o árbitro
Marco Gonçalves
Marco Gonçalves com a farda da SPDE, empresa alvo de um processo por segurança ilegal
Marco Gonçalves, jogador que agrediu o árbitro
Marco Gonçalves, jogador que agrediu o árbitro
Marco Gonçalves, jogador que agrediu o árbitro
Marco Gonçalves, jogador que agrediu o árbitro
Marco Gonçalves, jogador que agrediu o árbitro
Marco Gonçalves, jogador que agrediu o árbitro
Marco Gonçalves abandona o jogo Rio Tinto-Canelas sob escolta policial, após agredir o árbitro
Marco Gonçalves
Marco Gonçalves com a farda da SPDE, empresa alvo de um processo por segurança ilegal
Marco Gonçalves, jogador que agrediu o árbitro
Marco Gonçalves, jogador que agrediu o árbitro
Marco Gonçalves, jogador que agrediu o árbitro
Marco Gonçalves, jogador que agrediu o árbitro
Marco Gonçalves, jogador que agrediu o árbitro
Marco Gonçalves, jogador que agrediu o árbitro
Marco Gonçalves abandona o jogo Rio Tinto-Canelas sob escolta policial, após agredir o árbitro
Marco Gonçalves
Marco Gonçalves com a farda da SPDE, empresa alvo de um processo por segurança ilegal
Marco Gonçalves, jogador que agrediu o árbitro
Marco Gonçalves, jogador que agrediu o árbitro
Marco Gonçalves, jogador que agrediu o árbitro
Marco Gonçalves, jogador que agrediu o árbitro
Marco Gonçalves, jogador que agrediu o árbitro
Marco Gonçalves, jogador que agrediu o árbitro
Marco Gonçalves, conhecido como ‘Orelhas’, já foi arguido num processo de tiroteio no bairro do Cerco, no Porto, onde viveu e cresceu.

O caso remonta a 2004, quando, juntamente com outros indivíduos, apedrejou o carro de um homem que foi ao bairro deixar a namorada. Sem que nada o fizesse prever, Marco e os amigos começaram a apedrejar a viatura. A namorada do jovem e o pai foram em socorro da vítima.

Depois de confrontos físicos, acabaram baleados. Nesse processo, respondeu por ofensas à integridade física com arma de fogo.

O cadastro do jogador do Canelas, que agrediu à joelhada o árbitro José Rodrigues no domingo passado, não se fica por aqui. Existem várias referências do de Marco Gonçalves na Polícia Judiciária do Porto, três delas em que foi constituído arguido.

Filho de uma conhecida traficante de droga do bairro do Cerco, que está a cumprir nove anos de cadeia, Marco foi detido pela PSP, em 1999, na posse de 0,62 g de haxixe, na Rua de S. Roque da Lameira, no Porto. Foi-lhe apreendido o carro em que seguia e um telemóvel.

Em 2008, voltou a ser constituído arguido, desta vez como suspeito de exercer de forma ilegal a profissão de segurança privado, na discoteca TOMATE, no Porto.

O último caso que envolve o elemento dos Super Dragões, aconteceu no domingo passado, quando agrediu violentamente o árbitro do jogo Rio Tinto-Canelas. Ouvido por um juiz, viu-lhe aplicada a medida de coação de proibição de contactar com árbitros e entrar em recintos desportivos. Foi irradiado do Canelas.
Marco Gonçalves Caneças. agressão árbitro violência tiroteio Porto Orelhas FC Porto Super Dragões Macaco
Ver comentários