Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Particular de cachet simbólico

Portugal tem as despesas pagas e fica com parte da bilheteira.
Mário Figueiredo 17 de Novembro de 2015 às 12:46
Lucas João deverá ser esta terça-feira o ponta de lança titular da Seleção
Lucas João deverá ser esta terça-feira o ponta de lança titular da Seleção FOTO: Paulo Calado

A Federação Portuguesa de Futebol prescindiu de fazer jogos de preparação com cachets elevados, nesta altura, optando por oferecer a Fernando Santos a possibilidade de testar a equipa e os jogadores em situações que podem verificar-se na fase final do Euro 2016.

É nesse contexto que surge o encontro desta terça-feira com o Luxemburgo (19h30, RTP 1), no qual Portugal terá pela frente um adversário fechado na defesa, o que permitirá testar o ataque da formação nacional, sem Cristiano Ronaldo.


A seleção portuguesa é quarta do ranking FIFA, ou seja, uma das melhores do Mundo. De acordo com esse estatuto, cobra habitualmente um milhão de euros por presença em jogos de preparação. Contudo, a FPF decidiu prescindir desses montantes, optando por valores simbólicos, que praticamente só cobrem as despesas, com uma percentagem de bilheteira. Verbas que, por partida, podem nem chegar a 100 mil euros.

O jogo com a Rússia (derrota de Portugal por 1-0) permitiu uma partida com grande intensidade e obrigou a níveis elevados de concentração. Fernando Santos aproveitou para fazer quatro estreias: Gonçalo Guedes, Rúben Neves, Lucas João e Ricardo.

Já a escolha do Luxemburgo, além de garantir uma relação de proximidade com os emigrantes, visa afinar aquele que tem sido o principal problema da seleção nacional na era Fernando Santos, que é a finalização.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)