Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

Ronaldo marca três golos e deixa Portugal a um passo da qualificação

Capitão fica a dois dos 100 golos pela Seleção Nacional. Novo hat-trick, incluindo um belo disparo em arco. Lesão? Qual lesão?
Sérgio Pereira Cardoso 15 de Novembro de 2019 às 01:30
Ronaldo festeja um dos seus três golos. Fez o nono hat-trick pela seleção
Portugal - Lituânia
Portugal - Lituânia
Portugal - Lituânia
Portugal - Lituânia
Portugal - Lituânia
Portugal - Lituânia
Ronaldo festeja um dos seus três golos. Fez o nono hat-trick pela seleção
Portugal - Lituânia
Portugal - Lituânia
Portugal - Lituânia
Portugal - Lituânia
Portugal - Lituânia
Portugal - Lituânia
Ronaldo festeja um dos seus três golos. Fez o nono hat-trick pela seleção
Portugal - Lituânia
Portugal - Lituânia
Portugal - Lituânia
Portugal - Lituânia
Portugal - Lituânia
Portugal - Lituânia
Ronaldo está bem e recomenda-se. Três golos do capitão da Seleção encheram um cabaz que ainda levou assinaturas de Pizzi, Gonçalo Paciência e Bernardo Silva frente a uma Lituânia tenrinha. Falta um passo para o Europeu - no domingo, no Luxemburgo.

Desta vez, Santos colocou Gonçalo Paciência ao lado de CR7, com uma retaguarda de luxo assente no nomadismo de Pizzi, Bruno Fernandes e Bernardo Silva. A oposição era débil - muito débil -, mas já se sabe o que acontece a quem não dá ao pedal. E Portugal pedalou, com o chefe de fila habitual.

Logo no início, penálti indiscutível sobre Ronaldo e o 1-0 aos 7’, nem de propósito. Dúvidas houvesse - em Itália, pelo menos - sobre o seu estado físico, era vê-lo a correr em busca de melhorar o seu registo, sem deixar de tentar assistir os colegas, até de ombro. E Gonçalo bem tentou, uma, duas, três e quatro vezes, sem sucesso. Paciência, o seu golo chegaria.

Antes disso, o avançado do Eintracht abriu a passadeira para Ronaldo voltar a brilhar, num remate em arco perfeito. O 2-0 ao intervalo era lisonjeiro para a Lituânia, mas não era preciso um oráculo para saber que a coisa não ficaria por ali.

Pizzi inscreveu-se na lista de marcadores, logo aos 52’, e depois foi mesmo Gonçalo a estrear-se a festejar de quinas ao peito, com uma ajudinha de Setkus, que largou a bola para o filho de Domingos Paciência fazer o que o pai fez por nove vezes ao serviço da Seleção.

Já não havia volta a dar, era via de sentido único. Ora marcas tu, ora marco eu. E marcou Bernardo. Prémio justíssimo para o canhoto, que se fartou de moer a cabeça aos adversários.

E Ronaldo? Que Fernando Santos não se irrite com a pergunta. É que o capitão português continuava à procura do golo - deu mesmo a ideia de querer manter-se em campo para avolumar os recordes. E chegou aos 98 golos por Portugal. 6-0. Saiu para a estreia de Diogo Jota. Tudo feito. Falta um passo para o Europeu e dois para CR7 ser CR100.

"Cristiano acabou com as dúvidas"
"O Cristiano acabou com as dúvidas [de que estaria lesionado] para quem as tinha. Eu não tinha dúvidas de que ele está em condições", afirmou Fernando Santos quando questionado sobre a exibição de Cristiano Ronaldo no jogo de quinta-feira.

"Fizemos uma primeira parte muito boa. Sempre com o controlo do jogo. Podíamos ter acabado com mais golos. No intervalo pedi aos jogadores para arrumarem com o jogo", contou o selecionador nacional. Sobre o próximo encontro, disse: "Vamos procurar fazer a mesma exibição, mas vai ser um adversário diferente. Alterações no onze? Vamos ver."
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)