Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia

Constâncio eleito vice-presidente

Vítor Constâncio foi ontem eleito vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE). Sem surpresas, o ainda governador do Banco de Portugal conseguiu o apoio dos ministros das Finanças da Zona Euro.
16 de Fevereiro de 2010 às 00:30
Vítor Constâncio vai ganhar 21 mil euros por mês como vice-presidente do Banco Central Europeu
Vítor Constâncio vai ganhar 21 mil euros por mês como vice-presidente do Banco Central Europeu FOTO: Tiago Sousa Dias

A decisão foi tomada durante a reunião de ministros das Finanças da Zona Euro, em Bruxelas, que deram o bilhete a Constâncio para, a partir de 1 de Julho, ocupar o cobiçado lugar de vice-presidente do BCE, substituindo no cargo o grego Lucas Papademos.

Constâncio, como novo número dois do BCE, passa a ser o responsável máximo da supervisão financeira da Zona Euro e terá poderes reforçados na chamada supervisão macroprudencial. Um tipo de supervisão que não deu problemas em Portugal dado que os casos da Banca, como o do BPN e BPP, recaem sobre a supervisão comportamental. Agora, em Frankfurt, sede do BCE, Constâncio estará atento a qualquer desadequação das regras em vigor para o sistema financeiro.

Na corrida ao cargo estiveram, além de Constâncio, o luxemburguês Yves Mersh e o belga Peter Praet. A votação para o cargo foi adiada três semanas, devido ao risco de empate entre o candidato luxemburguês e o português e a incerteza do que fazer perante essa situação. O processo de nomeação só fica concluído, contudo, com o carimbo dos líderes europeus, que o deverão fazer na cimeira marcada para 25 e 26 de Março. Apesar de Madrid ter considerado o governador "um excelente candidato", a eleição ficou garantida depois de Berlim ter manifestado o seu apoio a Constâncio. Isto numa estratégia que visa colocar o alemão Axel Weber como presidente do BCE quando Trichet se retirar de cena, daqui a um ano. Por cá, a questão que se coloca é o nome do substituto de Constâncio no Banco de Portugal, com algumas figuras a perfilarem-se para o lugar. José Sócrates felicitou a nomeação de Constâncio para o BCE, considerando tratar-se de "um êxito" da diplomacia nacional.

GOVERNO PROCURA SUBSTITUTO PARA BANCO DE PORTUGAL

Agora que se confirma que o lugar de governador do Banco de Portugal fica livre com a ida de Constâncio para o BCE, o Governo já terá iniciado contactos em vista a arranjar um substituto. Nomes como o de Vítor Bento, presidente da SIBS e conselheiro de Estado, Carlos Costa, vice-presidente do Banco Europeu de Investimento (BEI), e Teodora Cardoso, do Banco de Portugal, têm sido falados. Mas a necessidade de encontrar um consenso tem dificultado a escolha.

NOVO SALÁRIO FIXADO EM 21 MIL EUROS

O ainda governador do Banco de Portugal ganha 17 817 euros, mais do que o governador da Reserva Federal norte-americana. Mas, com a sua promoção a vice-presidente do Banco Central Europeu, vai passar a auferir em termos mensais 21 539 euros, um aumento de 3722 euros. Uma subida de 20%, sem contar com os subsídios, num ano em que em Portugal os salários na Administração Pública deverão ficar congelados.

REACÇÕES

"É UM MOTIVO DE ORGULHO PARA PORTUGAL": Teixeira dos Santos, Ministro das Finanças

Acho que é um motivo de orgulho saber que um português vai ocupar um lugar de prestígio. Também estou satisfeito com as diligências da diplomacia que deram resultado

"ESCOLHA POR MÉRITO E CRÉDITOS POLÍTICOS": Eduardo Catroga, Economista

É eleição e prestígio para o próprio e para Portugal. A escolha deriva de razões do seu mérito absoluto e reconhecido, mas tem também por base critérios políticos

"É UM REPRESENTANTE DE GRANDE NÍVEL": Silva Lopes, Economista

Portugal tem oportunidade de integrar a comissão executiva do BCE com um representante de grande nível, que não vai deixar mal os pontos de vista dos portugueses

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)