Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

Viagens da Galp ditam três saídas no Governo

Dirigentes da petrolífera também devem ser constituídos arguidos num processo que já tem 11 meses.
Cristina Rita, Diogo Torres e Henrique Machado 10 de Julho de 2017 às 01:30
 Euro 2016, portugal, taça, stade de france
Rocha Andrade
Fernando Rocha Andrade
João Vasconcelos
João Vasconcelos
Jorge Oliveira, António Costa e Cavaco Silva
 Euro 2016, portugal, taça, stade de france
Rocha Andrade
Fernando Rocha Andrade
João Vasconcelos
João Vasconcelos
Jorge Oliveira, António Costa e Cavaco Silva
 Euro 2016, portugal, taça, stade de france
Rocha Andrade
Fernando Rocha Andrade
João Vasconcelos
João Vasconcelos
Jorge Oliveira, António Costa e Cavaco Silva
Os três secretários de Estado que assistiram a jogos da Seleção no Euro 2016 a expensas da Galp pediram ontem a demissão, alegando o desejo de serem constituídos arguidos no inquérito que foi aberto ao caso. O primeiro-ministro, António Costa, já aceitou o pedido feito por Rocha Andrade, Jorge Costa Oliveira e João Vasconcelos.

Ao que o CM apurou, deverão ser constituídos mais arguidos no processo. A administração da Galp e a própria empresa poderão vir a constar dessa lista.

O facto de várias pessoas ligadas à petrolífera terem sido ouvidas como testemunhas deixou antever que os governantes que pediram agora a exoneração seriam constituídos arguidos. Por isso, terão optado por se anteciparem à Justiça. Deverão ser constituídos arguidos ainda nesta semana.

Ao que o CM apurou, terão sido ouvidas outras pessoas que, alegadamente, também foram aliciadas, mesmo aquelas que não aceitaram o convite.

Este caso foi denunciado em agosto de 2016. A Galp pagou duas viagens ao secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Rocha Andrade: ao Portugal-Hungria e à final com a França, que sagrou Portugal campeão europeu. O governante prometeu reembolsar a Galp, mas nunca divulgou valores, tal como os seus colegas.

Também Jorge Costa Oliveira assistiu ao Portugal-Hungria, em Lyon, e João Vasconcelos assumiu ter ido ao Euro 2016 a convite da Galp, mas diz que pagou o bilhete.

Prendas proibidas acima dos 150 euros para o Executivo 
O Governo criou, em setembro de 2016, um código de conduta em que impõe prendas até 150 euros para os governantes, depois da polémica sobre as viagens pagas pela Galp.

As oferendas acima desse valor ficam guardadas e devidamente registadas.

Processo entregue à 9ª secção do DIAP
A investigação ao  processo das viagens pagas pela Galp está a ser conduzida pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ e o caso ficou nas mãos da 9.ª secção do Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa.

Assessor de Costa na lista de arguidos   
O assessor económico do primeiro-ministro, Vítor Escária, também foi constituído arguido no processo que envolve os três governantes demissionários, diz o ‘Expresso’. Até ver mantém-se em função no gabinete de António Costa.

PERFIS 
Fernando Rocha Andrade
Sec. Estado Assuntos Fiscais
É doutorado em Direito e professor da Universidade de Coimbra desde 1995. Foi sub-secretário de Estado da Administração Interna no XVII Governo Constitucional (2005- -2008) e eleito em 2015 deputado à Assembleia da República pelo círculo de Aveiro. É membro do Secretariado Nacional do Partido Socialista.

João Vasconcelos
Sec. Estado da Indústria
Diretor executivo da Startup Lisboa, Associação para a Inovação e Empreendedorismo de Lisboa de 2011 até 2015, foi responsável pelo LIDE Empreendedorismo, adjunto e assessor do gabinete do primeiro-ministro entre 2005 e 2011. Foi vice-presidente da Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE).

Jorge Costa Oliveira
Sec. Estado Internacionalização
Mestre em Direito e pós-graduado em Estudos Europeus, foi consultor independente e membro da Comissão do Jogo de Macau. Foi advogado de empresa no IPE, Investimentos e Participações do Estado, S.A. e adjunto do secretário de Estado para os Assuntos Parlamentares do IX Governo.

Azeredo Lopes sai nesta semana  
O próximo governante a deixar o cargo vai ser o ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes, ainda nesta semana, apurou o CM. Não é claro, porém, se o primeiro-ministro António Costa pretende fazer mais alterações nos ministérios, desig-nadamente no da Administração Interna, de Constança Urbano de Sousa. Contactado o Ministério da Defesa Nacional, o CM não obteve resposta.

Nas secretarias de Estado, apurou o CM, Oliveira Martins, das Infraestruturas, perfila-se como principal candidato a suceder nos Assuntos Fiscais a Rocha Andrade, peça-chave em muitas negociações orçamentais. A sua saída foi considerada uma surpresa pelos deputados socialistas. Isto porque, apesar da negociação do Orçamento de 2018 com PCP e BE estar parada, Rocha Andrade continuava a ser um interlocutor dos socialistas do lado do Governo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)