Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais CM

Katmandu: "Obrigado Portugal, nós também somos Nepal"

Portugueses Pedro Queirós e Lourenço Macedo Santos estão no Nepal a viver a tragédia.
6 de Maio de 2015 às 13:48
Crianças nepalesas agradecem ajuda dos portugueses
Crianças nepalesas agradecem ajuda dos portugueses FOTO: Pedro Queirós/Lourenço Macedo Santos
Hoje batemos mais recordes. Não de compras. Mas na ajuda em si. Usamos os stocks que tínhamos adquirido ontem e fizemos 280 pacotes familiares!

280 sacos que dão para várias refeições. É muita comida e representa uma grande ajuda para as pessoas que ainda não receberam nada desde o sismo do sábado passado. Há 9 dias. E sabemos que ainda há muitas assim. Por isso a ação tem carácter urgente. Porque amanhã já serão 10 dias.

A preparação dos packs e colocação na carrinha de transporte é uma tarefa verdadeiramente Herculiana. São dezenas de pessoas a ajudar. A empacotar. A pesar. A dar nós em sacos. A contar stocks.



Para levar as coisas até às carrinhas fazemos correntes humanas. Recebe-se um saco e atira-se para a pessoa ao lado. E por aí adiante. Ou seja, pelos nossos braços e de cada um dos voluntários, passam várias toneladas por dia.

Estas pessoas com quem trabalhamos são verdadeiramente fantásticas. As pessoas da Bpw Nepal - Business and Professional Women do Nepal. Não param. E são elas que arranjam os voluntários todos. E tratam-me a mim e ao Lourenço como filhos. Obrigado. Aproveito para marcar aqui a Era Prasai e a Neelima Basnet. Mulheres de armas.

Hoje não fomos só a uma aldeia. Fomos a três. Ichangu, Chapagaun e Bhirsdadha. Locais em ruínas mas em localizações verdadeiramente espectaculares. Terraços de terra com trigo cultivado. Montanhas. Campos de flores. Vistas sobre Katmandu. Vamos aproveitando para conhecer o país, sentados na parte detrás de carrinhas de caixa aberta.

Quando chegamos aos locais, as pessoas estão às centenas à nossa espera na beira da estrada. É simplesmente incrível... O líder da comunidade é sempre o primeiro a cumprimentar-nos. Com um olhar sincero e aperto de mão forte.

Hoje receberam-nos com colares e ramos flores. Crianças aos montes a vir ter connosco. A atropelarem-se para agradecer e nós a dizer o nome de Portugal. É o melhor momento do dia. Quando damos.

No fundo, é para isso que aqui estamos e é a razão de todo o esforço. Como dizia a Amália: "A alegria da pobreza, está nesta grande riqueza de dar, e ficar contente."

Trabalhamos mais de 12 horas e agora ainda aqui estamos a (tentar) responder a todas as solicitações. Mas vou tentar terminar em breve e ainda ver um bocado do Juventus-Real Madrid. Nós somos altruístas é certo. Mas temos que ver o Ronaldo.

Apesar de termos stock para as encomendas do dia, ainda tivemos que fazer uma pequena incursão comercial logo pela manhã.

Compramos 780 metros de colchões para distribuir em conjunto com os packs. A grande maioria ainda está connosco e é para continuar a dar. Tivemos de cortar tudo com tesouras e x-atos.

Os grandes números do dia são:
– 36000 rupias gastas, cerca de 317;
– 780 metros de colchões;
– Aluguer de 2 carrinhas.

Mas amanhã já vamos ter de ir de novo às compras. Estamos a precisar de pó talco para os sapatos e detergente roupa em pó 72 doses. A tshirt branca que usei ontem já está preta.

Estamos cansados mas muito otimistas e motivados. O vento continua do nosso lado. As coisas correm bem e não quebramos.



Pensamos no presente mas com um olho no futuro. As pessoas do Nepal, Portugal e já de outros países, não param de nos apoiar.

Somos uns sortudos por estarmos a viver tudo isto desta maneira tão intensa. Por podermos ajudar e por poder partilhar com toda a gente aqui pelo Facebook. Porque nos sentimos embaixadores não só de Portugal, mas também da raça humana.E por falar em Portugal. O Ronaldo já marcou um golo. E amanhã chegam mais dois portugueses para ajudar.



Obrigado Portugal, nós também somos Nepal.

Texto de Pedro Queirós e Lourenço Macedo Santos, partilhado no Facebook e cedido ao CM para publicação.
Katmandu agradecimento Portugal nepal portugueses pedro queirós lourenço macedo santos tragédia
Ver comentários