Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

"A democracia venceu": Biden apela a Trump para reconhecer derrota

Presidente eleito lançou várias críticas ao comportamento do presidente Trump no processo pós-eleições.
SÁBADO 15 de Dezembro de 2020 às 07:32
Joe Biden
Joe Biden
Joe Biden, o presidente eleito dos Estados Unidos da América, apelou esta segunda-feira à noite ao presidente demissionário, Donald Trump, que concedesse a derrota para uma transição mais pacífica. O Colégio Eleitoral confirmou este domingo a vitória do democrata sobre o republicano com 306 votos para Biden e 232 para Trump. 

O discurso de Biden foi marcado pelo elogio às instituições norte-americanas e pelo papel que desempenharam ao longo da candidatura, as eleições e o trabalho desenvolvido nas últimas semanas. "A lei, a constituição e a vontade do povo prevaleceram", congratulou-se Biden que lançou farpas à atitude de Donald Trump, dizendo que este colocou o processo eleitoral sob uma grande pressão, mas que mesmo assim, "a integridade das eleições permaneceu intacta". 

O presidente eleito deixou também um agradecimento ao poder judicial nos EUA que tem negado e comrpovado como falsas as queixas de fraude eleitoral apresentadas pela campanha de Donald Trump ao longo do último mês. "Mais de 80 juízes em todo o país ouviram as queixas e em nenhum caso foi encontrada uma causa para disputar os resultados", lembrou.

O candidato democrata às eleições deste ano lembrou que mesmo apesar da pandemia, estas foram as eleições norte-americanas mais concorridas da história: "A democracia venceu".

Durante um discurso com várias críticas lançadas ao ainda presidente dos EUA, Biden lembrou que obteve o mesmo resultado que Trump conseguiu em 2016, quando descreveu a sua vitória no Colégio Eleitoral como "uma vitória à larga", deixando ainda no ar uma acusação de abuso de poder por parte do republicano: "A partir de agora sabemos que nem sequer uma pandemia ou o abuso de poder conseguem extinguir" a democracia norte-americana.

Nos Estados Unidos, o Presidente não é escolhido por voto popular, mas por sistema indireto, através do voto dos grandes eleitores, escolhidos em função dos resultados eleitorais e em função da população de cada estado (com os mais populosos a ter direito a mais votos).

Os resultados dos votos do Colégio Eleitoral foram todos iguais aos resultados das eleições que foram oficialmente confirmados por todos os estados até 8 de dezembro - e cujas disputas judiciais iniciadas por Trump não conseguiram alterar. Assim, Biden venceu em estados-chave como Geórgia, Pensilvânia, Michigan, Wisconsin e Arizona.

Nas 58 eleições anteriores nos EUA, nunca o Colégio Eleitoral reverteu a decisão dos eleitores e em mais de 23 mil votos de delegados, apenas 90 foram diferentes ao esperado.

A cerimónia de tomada de posse de Biden enquanto o 46.º Presidente dos Estados Unidos vai ser realizada a 20 de janeiro.

Donald Trump Donald Trump Estados Unidos da América Colégio Eleitoral Colégio Eleitoral política eleições
Ver comentários