Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Assassinos trocam mensagens de telemóvel para planear massacre no Brasil

Jovens estiveram ano e meio a detalhar o crime.
F.J.G. 15 de Março de 2019 às 08:50
Vídeo mostra ataque
Jorge Moraes, tio do atirador, 51 anos
Eliana Xavier, auxiliar, 38 anos
Samuel Oliveira, 16 anos
Caio Oliveira, 15 anos
Kaio Limeira, 15 anos
Klaiton Ribeiro, 17 anos
Douglas Celestino, 16 anos
Marilena Umezo, coordenadora pedagógica, 59 anos
Vídeo mostra ataque
Jorge Moraes, tio do atirador, 51 anos
Eliana Xavier, auxiliar, 38 anos
Samuel Oliveira, 16 anos
Caio Oliveira, 15 anos
Kaio Limeira, 15 anos
Klaiton Ribeiro, 17 anos
Douglas Celestino, 16 anos
Marilena Umezo, coordenadora pedagógica, 59 anos
Vídeo mostra ataque
Jorge Moraes, tio do atirador, 51 anos
Eliana Xavier, auxiliar, 38 anos
Samuel Oliveira, 16 anos
Caio Oliveira, 15 anos
Kaio Limeira, 15 anos
Klaiton Ribeiro, 17 anos
Douglas Celestino, 16 anos
Marilena Umezo, coordenadora pedagógica, 59 anos
Os dois autores do massacre que vitimou sete pessoas numa escola da região de São Paulo, e uma oitava num stand próximo, planearam o ataque durante ano e meio.

Segundo a polícia, os dois amigos de infância, Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, o autor dos disparos, e o cúmplice, Luiz Henrique de Castro, de 25, trocaram dezenas de sms a delinear o plano para matar antigos colegas e funcionários da escola Raul Brasil, em Suzano.

O motivo provável do crime terá sido a vingança. Guilherme deixou a escola em 2018, cansado de ser alvo de bullying por causa do acne. Mas a primeira vítima foi o tio, Jorge Moraes. Terá sido morto por ter despedido o atirador do seu stand de automóveis, onde trabalhou alguns meses.

Ficou também a saber-se que Guilherme deixou junto à cama uma fotografia queimada dos pais, ambos toxicodependentes, Tatiana Taucci e Rogério Monteiro.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)