Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Autarca de São Paulo que trava luta contra o cancro testa positivo para o coronavírus

Anúncio da nova doença foi feito pelo próprio autarca da maior cidade do Brasil.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 14 de Junho de 2020 às 16:05
Bruno Covas
Bruno Covas FOTO: Getty Images

O Prefeito (presidente de câmara) da cidade brasileira de São Paulo, Bruno Covas, testou positivo para Coronavírus durante nova bateria de exames de rotina. Covas, de 40 anos, já luta há meses contra um cancro na Cárdia, região entre o esôfago e o estômago, que também lhe atingiu o fígado.

O anúncio da nova doença foi feito pelo próprio autarca da maior cidade do Brasil no seu instagram, acrescentando que a orientação dos médicos foi de continuar a trabalhar normalmente, mas agora em isolamento. Segundo a publicação que fez na rede social, o prefeito não apresenta qualquer sintoma da nova doença e vai ser monitorizado diariamente pelos médicos que já o acompanham.

Bruno Covas descobriu o cancro por acaso ao ir ao Hospital Sírio-Libanês, o mais conceituado de São Paulo, em Outubro do ano passado com um quadro de erisipela (infecção na pele) na perna direita e formação de coágulos profundos, que subiram para os pulmões, formando a chamada embolia. Foi durante a realização de exames detalhados para se localizarem esses coágulos que os médicos descobriram o cancro.

O jovem autarca submeteu-se a oito sessões de quimioterapia, e em Abril passado os médicos revelaram que o cancro não foi extinto mas foi bastante reduzido, e Bruno Covas iniciou um outro tipo de tratamento, com sessões de imunoterapia a cada três semanas.

Apesar da descoberta da grave doença, Bruno Covas recusou deixar o cargo, mesmo quando, por causa do tratamento inicial, ficou extremamente debilitado. Alegando não poder afastar-se das suas funções de conduzir a maior cidade do Brasil num momento tão delicado como o da pandemia de Coronavírus, que tem o seu epicentro no Brasil exactamente em São Paulo, Bruno Covas manteve a sua rotina e até a ampliou para tentar salvar vidas.

Com receio de ser infectado com Coronavírus, ele fez o contrário da maioria das pessoas, que passaram a trabalhar nas suas casas, e passou a viver no seu gabinete de trabalho na sede da edilidade, no Viaduto do Chá, centro de São Paulo, para proteger a família. Mas a sucessão de visitas de trabalho e de reuniões fora, nomeadamente com o governador do estado de São Paulo, Joao Doria, e outros gestores estaduais e municipais devido à pandemia, resultaram naquilo que mais temia, ser infectado pela nova doença.

Não obstante estar a dar um emocionante exemplo de coragem e de dedicação à cidade que comanda, Bruno Covas não escondeu em algumas entrevistas que está com medo de que a história se repita.

O avô dele, Mário Covas, ex-governador do estado de São Paulo, morreu vinte anos atrás também vítima de cancro, o que, no entanto, não é uma sentença de morte para o neto, muito mais novo e que tem à sua disposição avanços médicos e tecnológicos que não existiam na época. 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)