Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Belle Gunness: A viúva assassina que encontrava as vítimas nos classificados dos jornais

Mulher matou os filhos, dois maridos e conta com historial de mais de 60 crimes. Homicídios serviam para sacar seguros dos pretendentes.
Correio da Manhã 14 de Setembro de 2020 às 11:45
Belle Gunness
Belle Gunness FOTO: Getty Images

Chamava-se Belle Gunness, era viúva, nasceu 1859 e foi uma das assassinas mais sangrentas de que há memória. Nos jornais, fazia-se passar por viúva à procura de companhia, mas o objetivo era outro. 

"Viúva com grande fortuna procura partilhar a sua vida com um homem que tenha posses". Esta era a frase que Belle colocava nos classificados dos jornais para atrair as suas vítimas. E não se deixava enganar, pois qualquer pretendente teria de se fazer acompanhar por grandes quantias de dinheiro. 

Belle tinha os seus planos bem delineados. Matava os maridos para conseguir o dinheiro dos seguros. 

De vítima a viúva negra que caçava vítimas pelos jornais
A mulher nasceu numa povoação de pescadores na costa oeste da Noruega numa família em que era a mais nova de oito irmãos. A infância de Belle é um teia de mistérios abordada na série documental da realizadora Anne Berit Vestby em 2006. Segundo a história relatada na série documental, a norueguesa foi violentamente agredida por um homem da localidade enquanto estava grávida. Na sequência do ataque, a mulher perdeu o bebé que esperava e a sua vida mudou para sempre. 

Belle não foi protegida pela família nem defendida e transformou-se numa mulher fria, apática e sem princípios. Foi então que comprou um bilhete de viagem para os Estados Unidos onde viviam as irmãs. 

Rapidamente se adaptou à nova cidade e arranjou trabalho. O que se sucedeu foi uma série de aparentes tragédias que terão sido provocadas por Belle para arrecadar dinheiro dos seguros de vida.

Primeiro casou com Mads Ditlev Anton Sorensen e juntos abriram uma confeitaria, mas o negócio não resultou e o local incendiou-se um ano depois. O dinheiro do seguro serviu para o casal comprar uma casa em Austin, porém, essa casa também se incendiou. 

O dinheiro do seguro dessa casa serviu para comprar uma nova habitação e, um tempo depois, uma nova tragédia. A filha mais velha do casal morreu com uma colite, uma doença com sintomas semelhantes aos de um envenenamento. Um ano depois morreu outra das quatro filhas do casal em circunstâncias semelhantes. Em todas as situações, Belle cobrou o dinheiro do seguro. 

Uns anos depois, morre Sorensen, marido de Belle, também por envenenamento, neste caso um pesticida para matar pássaros e roedores. A mulher voltou a cobrar dinheiro do seguro de vida do marido à seguradora. 

Com esse dinheiro, mudou-se para La Porte com os dois filhos e conheceu o segundo marido, Peter Gunness, um viúvo mais novo de Belle. Uma semana depois do casamento, outra das filhas da viúva morre, também em circunstâncias suspeitas. 

Um ano mais tarde... morre o segundo marido da mulher. A filha de Peter diz que este terá sido assassinado, porém, às autoridades nega que o tenha dito. A aquisição do dinheiro do seguro não foi tão fácil desta vez, porém, a filha do segundo marido de Belle acaba por desaparecer misteriosamente e a viúva dá à luz um menino, filho de Peter. 

Foi então que a mulher começou a colocar anúncios no jornal para encontrar homens ricos. Quando eles iam à da mulher, e mostravam o dinheiro, Gunness preparava um jantar requintado no qual acrescentava veneno.

Belle foi associada a pelo menos 60 crimes. A maioria dos homicídios ocorreu entre 1905 e 1908.
Ver comentários