Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Dinamarca multa primeira mulher por usar véu islâmico

Proibição foi aprovada no dia 31 de maio.
4 de Agosto de 2018 às 17:43
Proibição do uso do véu integral islâmico já entrou em vigor na Dinamarca
Proibição do uso do véu integral islâmico já entrou em vigor
Proibição do uso do véu integral islâmico já entrou em vigor
Proibição do uso do véu integral islâmico já entrou em vigor
Proibição do uso do véu integral islâmico já entrou em vigor na Dinamarca
Proibição do uso do véu integral islâmico já entrou em vigor
Proibição do uso do véu integral islâmico já entrou em vigor
Proibição do uso do véu integral islâmico já entrou em vigor
Proibição do uso do véu integral islâmico já entrou em vigor na Dinamarca
Proibição do uso do véu integral islâmico já entrou em vigor
Proibição do uso do véu integral islâmico já entrou em vigor
Proibição do uso do véu integral islâmico já entrou em vigor

As autoridades dinamarquesas aplicaram a primeira multa por uso de véu islâmico em espaços públicos. A lei entrou em vigor na quarta-feira e o episódio aconteceu dois dias depois num centro comercial de Horsholm. Uma mulher de 28 anos acabou a ser multada em 134 euros (mil coroas dinamarquesas) e preferiu deixar o local a retirar o niqab.

De acordo com a imprensa dinamarquesa, a polícia agiu quando foi chamada ao local devido a um confronto entre duas mulheres: a jovem que acabou por ser multada e uma outra que exigia que esta retirasse o véu, tendo recorrido à força. Durante a luta, explicou a polícia à Ritzau, o niqab chegou a cair, mas a mulher rapidamente o voltou a colocar.

A polícia fotografou a jovem a usar o véu islâmico e pediu acesso às imagens de vigilância do espaço comercial para serem usadas como prova. As autoridades explicaram-lhe também que a multa seria enviada pelos correios.

Aprovada pelo parlamento dinamarquês no dia 31 de Maio, a lei proibe o uso de burqa e niqab em espaços públicos, à semelhança do que já aconteceu noutros países europeus como a França e a Bélgica.

Deste modo, quem utilizar peças de roupa ou acessórios - como balaclavas, capacetes ou barbas falsas - que impossibilitem o reconhecimento de uma pessoa, fica sujeito a uma multa mínima de mil coroas dinamarquesas (cerca de 134 euros).

Em caso de reincidência, a multa pode chegar às 10 mil coroas dinamarquesas (cerca de 1.340 euros).

Não há números oficiais que apontem para o número de mulheres que utilizam véu integral islâmico na Dinamarca. De acordo com a lei, funcionários públicos e funcionários como juízes e soldados devem ter a suas caras destapadas.

A lei salvaguarda que os objectos podem ser usados em situações necessárias - como no caso dos capacetes - para o cumprimento de outras leis.


Horsholm Ritzau França Bélgica Dinamarca leis
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)