Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Estudo avança que tomar a pílula ‘adormece' emoções e prejudica relações

Especialistas deixam alerta para efeitos da pílula no cérebro de uma mulher.
12 de Fevereiro de 2019 às 11:13
Pílula
Pílula
Pílula
Pílula
Pílula
Pílula
Pílula
Pílula
Pílula
Pílula
Pílula
Pílula
Pílula
Pílula
Pílula

Um estudo feito por uma equipa de investigadores da Universidade de Greifswald, na Alemanha, concluiu que tomar a pílula pode prejudicar as relações afetivas e ‘adormecer’ emoções.

Os investigadores questionaram-se sobre o impacto da pílula nas interações sociais das mulheres, assim como nos relacionamentos íntimos.

O estudo, publicado na Frontiers in Neuroscience, pedia para que 95 pessoas identificassem diferentes expressões faciais. 42 das inquiridas tomavam a pílula, 53 não. A partir desse estudo de caso, a equipa concluiu que as mulheres que não tomam o anticoncecional tiveram melhor desempenho.

Este efeito comprovou-se tanto no reconhecimento de expressões positivas, como negativas. Os especialistas garantiram ainda que o tipo de pílula tomado é indiferente nestes casos.

"Mais de 100 milhões de mulheres em todo o mundo usam contracetivos orais, mas pouco se sabe sobre os seus efeitos a nível emocional e comportamental", avançou o investigador Alexander Lischke.

"Os resultados sugerem que os contracetivos orais prejudicam a capacidade de reconhecer expressões emocionais de outras pessoas, o que pode afetar o modo como as mulheres iniciam e mantém relacionamentos íntimos", rematou.

Recorde-se que a pílula é utilizada, não só como método contracetivo, mas também para controlar o acne e reduzir períodos intensos, por exemplo. A toma deste medicamente reduz o risco de cancro nos ovários, útero e intestino, no entanto, aumenta o risco de cancro de mama.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)