Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Irão avisa que reagirá a ataque da América

Regime de Teerão reage a Donald Trump e fala em “consequências devastadoras”.
Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 23 de Junho de 2019 às 09:30
Poderio militar norte-americano está em alerta após o aumento de tensão no seguimento das ameaças do regime iraniano
Donald Trump, Presidente dos EUA
Poderio militar norte-americano está em alerta após o aumento de tensão no seguimento das ameaças do regime iraniano
Donald Trump, Presidente dos EUA
Poderio militar norte-americano está em alerta após o aumento de tensão no seguimento das ameaças do regime iraniano
Donald Trump, Presidente dos EUA
As autoridades iranianas avisaram este sábado que responderão com firmeza a um eventual ataque dos Estados Unidos da América, ou dos seus aliados. Um porta-voz militar falou em "consequências devastadoras" para os interesses americanos na região. Entretanto, a agência de notícias oficial iraniana informou que o regime executou um antigo funcionário do Ministério da Defesa, acusado de espionagem para a CIA.

Esta foi a resposta um dia depois de Donald Trump ter confirmado que ordenou um ataque a objetivos militares iranianos em retaliação ao abate de dum drone americano, mas que dez minutos depois suspendeu a iniciativa por causa dos número de pessoas que iriam morrer no ataque. O general Abolfazl Shekarchi, porta-voz das Forças Armadas do Irão, alertou que "qualquer erro dos Estados Unidos, ou dos seus aliados, seria como disparar contra um barril de pólvora".

As forças armadas iranianas estão muito longe do poderio militar da maior potência mundial, mas o Irão conta com diversos grupos aliados que tem protegido no Médio Oriente, que tornariam ainda mais instável a situação nesta região do Mundo, que é estratégica por causa do peso que tem na produção do petróleo. O Hezbollah libanês, os rebeldes Huthi do Iémen e o regime sírio são aliados do regime persa, que poderiam ajudar a incendiar, ainda mais, o Médio Oriente.

O estreito de Ormuz, situado na zona onde o Irão abateu um drone militar norte-americano, é um ponto de passagem estratégico para o comércio mundial de petróleo . O Irão advertiu que defenderá o seu território contra eventuais represálias dos EUA, enquanto as companhias aéreas KLM, British Airways, Lufthansa, Qantas, Singapura Airlines, Emirates, entre outras, decidiam evitar ou mesmo suspender, a partir de agora, voos sobre o estreito de Ormuz.

SAIBA MAIS
50 quilómetros é a largura do estreito de Ormuz. Situa-se entre o Irão e o sultanato de Omã. É pontilhado por ilhas desertas ou pouco habitadas, mas de grande importância estratégica: as ilhas iranianas de Ormuz e de Qeshm saiba

Conquistas portuguesas
No século XVI, Afonso de Albuquerque conquistou este território. A presença portuguesa iniciada em 1507 deixou marcas em diversas fortalezas na costa. Ormuz esteve sob domínio luso durante mais de 100 anos, até 1622.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)