Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Líderes separatistas iniciam campanha na Catalunha

Carles Puigdemont e aliados nacionalistas ignoram ameaças de Madrid.
Francisco J. Gonçalves 15 de Setembro de 2017 às 08:49
Puigdemont
Puigdemont FOTO: Toni Albir / EPA
O governo espanhol anunciou ontem que cortará a luz nos centros de votação no dia do referendo separatista de 1 de outubro e ordenou aos Correios que não entreguem a correspondência com documentos relativos à consulta. Mas a estas novas medidas respondeu o governo autónomo catalão com o início formal da campanha para o referendo.

A presidente da Câmara de Barcelona, Ada Colau, que se tinha demarcado do processo ante as ameaças de procedimento judicial contra políticos e funcionários que cooperem com o referendo, ilegalizado pelos tribunais, anunciou ontem ter chegado a acordo com o governo autónomo catalão de Carles Puigdemont para permitir a votação em Barcelona.

Colau fez o anúncio no Twitter, mas sem adiantar pormenores. Escreveu a autarca que os residentes de Barcelona vão poder votar "sem pôr em risco nem a instituição nem os servidores públicos". Puigdemont confirmou o acordo ao republicar o tweet com a nota: "Boa notícia!".

Numa outra nota, em reação à ameaça de corte de luz, escreveu, no Facebook: "Vão oferecer-nos uma jornada romântica".

O governo espanhol anunciou, entretanto, que controlará a transferência de verbas para a Catalunha, em resposta à decisão catalã de não enviar os relatórios mensais de despesa, para não dar conta dos gastos com o referendo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)