Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Médicos ignoram sintomas de menina e jovem morre do mesmo cancro que tinha matado o pai

Alana acabou por morrer 19 meses depois da partida do pai, vítima de um glioblastoma.
Correio da Manhã 10 de Fevereiro de 2020 às 11:34
Alana acabou por morrer 19 meses depois da partida do pai, vítima de um glioblastoma
Alana acabou por morrer 19 meses depois da partida do pai, vítima de um glioblastoma FOTO: Direitos Reservados
"Por favor, conte a minha história para que isso não aconteça com mais ninguém". Foi esta a última mensagem que Alana Finlayson, jovem de 15 anos, deixou à mãe antes de morrer vítima de um glioblastoma, um cancro no cérebro que já tinha matado o pai.

A menina foi ao médico e os profissionais de saúde concluíram que a jovem estaria a ter sintomas de "tristeza" provocados pelo que tinha acontecido ao pai e consecutivamente ignoraram os pedidos de ajuda.

Alana morreu vítima de um dos cancros mais agressivos que se desenvolvem no cérebro. A mãe, Linda, de 51 anos, revelou agora a história ao jornal Mirror. "Fomos dispensados uma e outra vez. Alguns médicos eram tão arrogantes. Se eles tivessem acabado de ouvir o que tínhamos para dizer, talvez a Alana estivesse aqui comigo", confessou a mãe.

A dor de que a jovem se queixava foi sendo descartada e apontada como busca de atenção e pesar pela morte do pai. Alana acabou por morrer 19 meses depois da partida do pai, também vítima de um glioblastoma.
Alana Finlayson questões sociais saúde cancro cancro mata jovem
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)