Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Míssil da Coreia do Norte pode ter sido sabotado pelos americanos

Engenho explodiu logo após o lançamento. Americanos não comentam tese de sabotagem.
17 de Abril de 2017 às 12:46
Coreia do Norte desafia EUA e lança míssil
Nos últimos meses, têm-se sucedidos os lançamentos de mísseis por parte da Coreia do Norte
Coreia do Norte fracassa novo teste de míssil
Coreia do Norte desafia EUA e lança míssil
Nos últimos meses, têm-se sucedidos os lançamentos de mísseis por parte da Coreia do Norte
Coreia do Norte fracassa novo teste de míssil
Coreia do Norte desafia EUA e lança míssil
Nos últimos meses, têm-se sucedidos os lançamentos de mísseis por parte da Coreia do Norte
Coreia do Norte fracassa novo teste de míssil
O lançamento de um míssil de longo alcance pela Coreia do Norte realizado este domingo resultou num fiasco. Fontes militares tanto da Coreia do Sul como dos EUA dizem que o engenho explodiu "segundos depois de ter descolado", no que é visto como um sério revés na política bélica do regime liderado por Kim Jong-un.

Esta segunda-feira, vários media internacionais revelam que o falhanço americano pode ter sido causado por uma operação de sabotagem levada a cabo pelos americanos. 

Em declarações à BBC, o antigo ministro britânico dos Negócios Estrangeiros, Malcolm Rikfind, pôs a hipótese de o falhanço do míssil ter resultado de uma ação externa. "Pode ter falhado porque o sistema não é competente o suficiente para o por a funcionar, mas há uma muito forte convicção de que os Estados Unidos - através de métodos cibernéticos - têm sido bem sucedidos em várias ocasiões a interromper este tipo de testes e a fazê-los falhar".

Mas o político britânico deixa um aviso. "Não fiquem muito excitados, porque eles [a Coreia do Norte] também têm tido muitos testes bem sucedidos".

Conselheira de segurança fala em guerra cibernética

Na América, a administração Trump tem sido parca em declarações sobre o assunto. A conselheira de Segurança Nacional, Kathleen McFarland recusou-se, este domingo a comentar a possibilidade de o lançamento ter sido sabotado pelos americanos. Limitou-se a dizer que o lançamento foi "um falhanço".

"Sabem que não podemos comentar operações secretas ou coisas que possam ter sido feitas, como ações encobertas", acrescentou McFarland à Fox News, este domingo. 

Ainda assim a responsável explica que a guerra tecnológica não está a ser descurada. "Estamos a entrar numa numa era, não apenas com a Coreia do Norte, mas com toda a gente. Com todos os países, os grandes países, estamos a entrar numa plataforma cibernética, uma guerra guerra cibernética. É neste campo que todas as guerras do futuro vão ser combatidas".

Vice presidente americano avisa que "a paciência acabou"

As notícias sobre a provável sabotagem americana dos mísseis coreanos surge numa altura em que Mike Pence, vice-presidente do EUA está de visita à Coreia do Sul. O número dois da Casa Branca deixou um aviso a Pyongyang.

"O Presidente Trump deixou claro que a paciência dos Estados Unidos e dos nossos aliados nesta região acabou e que queremos ver mudanças. Queremos ver a Coreia do Norte a abandonar o caminho sem escrúpulos de desenvolvimento de armas nucleares, e também o contínuo uso e realização de testes de mísseis balísticos, o que é inaceitável".




Coreia do Sul Coreia do Norte Estados Unidos EUA Kim Jong-un míssil falhanço sabotagem falhanço explosão
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)