Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Mulher sofre 13 abortos espontâneos até dar à luz Ivy, a "bebé-milagre"

Britância explicou que das 13 gravidezes, 11 abortos ocorreram apenas no primeiro trimestre. Nas outras duas, abortou às 17 e 20 semanas.
16 de Junho de 2019 às 12:54
Mulher sobre 13 abortos espontâneos antes de dar à luz Ivy, a 'bebé-milagre'
Ivy, agora com nove meses, é considerada pelos pais como uma verdadeira 'bebé-milagre'
Mulher sobre 13 abortos espontâneos antes de dar à luz Ivy, a 'bebé-milagre'
Mulher sobre 13 abortos espontâneos antes de dar à luz Ivy, a 'bebé-milagre'
Ivy, agora com nove meses, é considerada pelos pais como uma verdadeira 'bebé-milagre'
Mulher sobre 13 abortos espontâneos antes de dar à luz Ivy, a 'bebé-milagre'
Mulher sobre 13 abortos espontâneos antes de dar à luz Ivy, a 'bebé-milagre'
Ivy, agora com nove meses, é considerada pelos pais como uma verdadeira 'bebé-milagre'
Mulher sobre 13 abortos espontâneos antes de dar à luz Ivy, a 'bebé-milagre'
Laura Worsley, uma mulher britânica, sofreu 13 abortos espontâneos antes de conseguir levar uma gravidez até ao fim. Com 35 anos, deu à luz Ivy, agora com nove meses, que é considerada pelos pais como uma verdadeira "bebé-milagre".

Em 2008, Laura e Dave, o marido, perderam o primeiro bebé enquanto residiam em Kenilworth, uma localidade em Londres. Mais tarde, a britânica voltou a engravidar e o casal só se percebeu de que algo estava errado depois de mais uma perda.

O último aborto levou-os até a Siobhan Quenby, médica no Hospital Universitário de Coventry, em Londres. Laura foi diagnosticada com o síndrome dos anticorpos anti-fosfolipídicos ou síndrome de Hunghes, que se traduz no sangue demasiado espesso e que a levava a sofrer abortos espontâneos.

A mulher foi aconselhada com doses elevadas de ácido fólico que poderiam eventualmente resolver o problema que afetava cada vez mais o casal. "Não sei como lidei com isto. O Dave manteve-se forte por mim, mas quando perdemos os rapazes foi mesmo difícil", contou Laura à BBC.

A britânica explicou que das 13 gravidezes, 11 abortos ocorreram apenas no primeiro trimestre. Nas outras duas, abortou às 17 e 20 semanas.

Depois do 13º aborto, o casal pensou em tentar pela última vez. Com a medicação adequada, Laura engravidou pela 14º vez e não contou a ninguém, com medo de que algo corresse mal.

Às 30 semanas de gravidez, Ivy, a "bebé-milagre" nasceu de cesariana, com menos de um quilo.

"O meu marido viu-a primeiro e mostrou-me uma fotografia dela quando acordei", contou Laura. Os médicos ficaram preocupados com a saúde da recém-nascida, devido à possibilidade de desenvolver septicemia.

Após 11 semanas em cuidados no hospital, a bebé foi para casa com os pais que olham para a sua filha como um verdadeiro milagre.

"Até agora, passados nove meses, custa-me acreditar que ela é minha", exclamou Laura Worsley enquanto olhava para a filha.

Laura Worsley Londres saúde aborto BBC Hospital Universitário de Coventry Siobhan Quenby
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)