Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Pai ataca assassino da filha mais de 30 anos depois

Juan José Fernández quis vingar morte de criança de 4 anos e atacou homicida em rua de Espanha.
José Carlos Marques 16 de Abril de 2018 às 13:12
Polícia Nacional de Espanha
Polícia Nacional de Espanha
Polícia Nacional de Espanha
Polícia Nacional de Espanha
Polícia Nacional de Espanha
Polícia Nacional de Espanha
Polícia Nacional de Espanha
Polícia Nacional de Espanha
Polícia Nacional de Espanha
Foi há quase 33 anos, mas a memória daquele dia nunca saiu da cabeça de Juan José Fernández. Porque um pai nunca esquece a morte de uma filha. Naquele dia 24 de maio de 1986, a pequena  Ana Isabel Fernández Sánchez, de apenas quatro anos, desapareceu da aldeia de Huétor Santillán, perto de Granada, em Espanha.

Após dias de buscas pela menor, o seu corpo foi encontrado no fundo de um poço. A investigação chegou rapidamente ao homicida. Enrique Sánchez, então com 22 anos, confessou o crime. Primo direito na mãe de Ana Isabel, tentou violar a menor, sem sucesso. Temendo que ela o denunciasse, afogou-a no poço onde viria a ser descoberto o corpo. Foi condenado a 40 anos de prisão, mas terá cumprido pouco mais de 20 e foi libertado.

Quase 33 anos depois, Juan Fernandéz cruzou-se com o assassino da filha numa rua de Granada. Na passada sexta-feira, 13 de abril, avançou contra ele com uma faca na mão e atacou-o, avança o jornal El País.

Talhante de profissão durante toda a vida, o pai de Ana Isabel golpeou Enrique repetidamente, causando-lhe ferimentos graves nas mãos e no nariz. Mas o condenado sobreviveu ao ataque, graças à pronta intervenção d agentes policiais que passavam na rua.

Juan Fernandéz foi detido e libertado com medidas de coação no sábado. Enrique Sanchéz ainda está internado num hospital da cidade do sul de Espanha.


Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)