Sete pessoas mortas a tiro num bairro de Fortaleza

Ataques tinham como principal alvo uma claque de futebol.

Ataques a tiro levados a cabo no final da noite desta sexta-feira que, segundo a polícia local, tinham como principal alvo uma claque de futebol em Fortaleza, capital do estado brasileiro do Ceará, deixou um trágico saldo de sete pessoas mortas e outras sete feridas. Os ataques aconteceram no bairro de Benfica perto das 23h30 locais, 02h30 deste sábado em Lisboa, e tinha como alvo, segundo a polícia brasileira, a sede e membros da claque TUF, Torcida Uniformizada Do Fortaleza, um dos principais clubes do Ceará.

A primeira morte aconteceu na Rua Joaquim Magalhães, que dá acesso à sede da TUF, e onde os criminosos encontraram por acaso Pedro Braga Barroso Neto, ligado à claque e que ia levar bebidas para a sede da organização. Ele foi cercado pelos atiradores e crivado de balas, morrendo no local, enquanto uma pessoa que estava com ele e foi levada para o hospital do Instituto José Frota em estado grave acabou por não resistir e morreu naquele estabelecimento de saúde.

Depois desses crimes, o grupo de atiradores, em número não precisado, dividiu-se. Parte dos criminosos foi para a sede da TUF, localizada na chamada Vila Demétrios, ainda em Benfica, e a outra para a Praça da Gentilândia, ali perto, local de boemia cheio de barzinhos e restaurantes muito freqüentados por jovens universitários.

O grupo que foi para a sede da claque ao chegar atirou diversas vezes contra o imóvel, acabando por atingir mortalmente uma pessoa. Já os atiradores que foram para a Praça da Gentilândia, completamente lotada àquela hora, atiraram a esmo uma indescritível chuva de balas contra as pessoas que se divertiam nos bares no final da noite, matando quatro e ferindo várias outras.

Fortaleza, uma das cidades brasileiras mais procuradas por turistas do Brasil e de outros países, tem sido cenário nos últimos tempos de actos de extrema violência. Em Janeiro, um grupo de atiradores matou 17 pessoas, na sua maioria adolescentes, que se divertiam numa casa nocturna e que, segundo a polícia, era freqüentada de vez em quando por membros de uma facção criminosa rival à dos atiradores, e esta sexta-feira a polícia encontrou os corpos de três mulheres jovens que, supostamente por pertencerem também a um grupo rival dos assassinos, foram seqüestradas, mutiladas bárbaramente ainda vivas, decapitadas e enterradas numa área isolada às margens do Rio Ceará, na periferia de Fortaleza com a cidade vizinha de Calcaia.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!