Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

António Vitorino não gostou de ser ministro

António Vitorino recusou fazer parte do governo de José Sócrates, porque não gostou da experiência de ser ministro. O antigo responsável pela pasta da Defesa de António Guterres justifica assim o “não” dado ao primeiro-ministro indigitado para fazer parte do XVII governo constitucional.
7 de Março de 2005 às 08:13
António Vitorino não gostou de ser ministro
António Vitorino não gostou de ser ministro FOTO: Marta Vitorino
“Não gostei de ser ministro. Ninguém acredita, mas é a verdade. Foi uma experiência enriquecedora, mas não gostei. Prefiro servir o país como parlamentar”, confessou António Vitorino ao “Diário Económico”, acrescentando que Sócrates já conhecia esta posição.
O ex-comissário europeu afirma que a decisão de não integrar o executivo foi tomada antes das eleições, sendo que, de acordo com o DE, Sócrates voltou a insistir no convite, após serem conhecidos os resultados eleitorais que deram a maioria absoluta ao PS, sem, no entanto, o conseguir demover.
António Vitorino revelou ainda ao DE que também foi sondado para assumir o cargo de Alto Comissário para os Refugiados em Genebra, posto que também recusou, pelo facto de a “família estar cansada de andar com a casa às costas”. “Se fosse solteiro, não tenho dúvidas, já lá estava”, acrescentou.
Quanto à sua eventual candidatura às Presidência da República, o antigo comissário europeu respondeu simplesmente que não é candidato a candidato, sublinhando que trouxe de Bruxelas um livro sobre Justiça que gostava de terminar.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)