Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

Comissão fala em atentado em Camarate

Relatório parlamentar faz duras críticas à atuação da PJ e do procurador-geral da República.
Cristina Rita 24 de Junho de 2015 às 21:10
Tragédia que vitimou Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa ocorreu a 4 de desembro de 1980
Tragédia que vitimou Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa ocorreu a 4 de desembro de 1980 FOTO: Alfredo cunha/EPA
É a última peça de uma história com 34 anos. José Moreira, proprietário de um avião, foi assassinado em janeiro de 1983, antes de dar um depoimento crucial no primeiro inquérito parlamentar à tragédia que levou à morte primeiro-ministro Sá Carneiro e do ministro da Defesa Amaro da Costa, a 4 de dezembro de 1980.

Para a X comissão de inquérito à tragédia, não há dúvidas de que houve atentado – e José Moreira terá feito uma investigação por conta própria sobre a queda do avião que levou à tragédia.

A morte de José Moreira e da sua companheira, Elisabete Silva, foi considerada acidental. Mais tarde concluiu-se que havia indícios de crime, e o relatório do inquérito diz que "foi evidenciado, com elevado grau de confiança", que o casal foi assassinado. Por isso, a atuação da PJ e do procurador-geral da República Cunha Rodrigues foi "deficitária, com gritantes e evidentes lacunas".

camarate comissão atentado José Moreira Sá Carneiro Amaro da Costa
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)