Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

Mais de 225 mil eleitores pediram esclarecimentos pela Internet

Eleitores tiraram dúvidas sobre local de voto ou número de eleitor. (Atualizada às 20h18)
29 de Setembro de 2013 às 10:13
Boletins de voto
Boletins de voto FOTO: JOÃO RELVAS/LUSA

20H18 - 225 MIL ELEITORES PEDIRAM ESCLARECIMENTOS PELA INTERNET 

Mais de 225 mil eleitores recorreram ao longo do dia à Internet para saber o local de voto ou o número de eleitor, indicam dados do Ministério da Administração Interna (MAI).

Segundo os dados, 175.031 eleitores recorreram ao portal do recenseamento, enquanto 50.408 ao portal do eleitor.

O MAI adianta que 143.620 eleitores pediram hoje, entre 08h30 e as 19h00, informações por SMS através do número 3838 para conhecimento do número de eleitor e da freguesia.

Já a linha telefónica 808 216 216, para pedidos de esclarecimento junto da Direção Geral da Administração Interna (DGAI), recebeu 5.165 chamadas.

Para minimizar problemas decorrentes da reforma administrativa, o MAI criou uma linha telefónica para pedidos de esclarecimento dos eleitores junto da DGAI, além das informações por SMS, para conhecimento do número de eleitor e da freguesia, como já aconteceu em atos eleitorais recentes.

A reforma administrativa alterou 2.008 freguesias, que diminuíram das atuais 4.259 para 3.091. 

19H50 - TROCA DE CADERNOS ELEITORAIS GERA CONFUSÃO EM VILA VERDE

Uma troca de cadernos eleitorais entre as duas assembleias de voto da freguesia de Duas Igrejas, concelho de Vila Verde, envolvendo cerca de 300 eleitores, provocou "alguma confusão", mas a situação foi ultrapassada com o acordo de todos os partidos.

O mandatário concelhio da candidatura do PS, Alberto Nídio, disse à agência Lusa que a freguesia de Duas Igrejas tem duas assembleias de voto, distantes entre si cerca de seis quilómetros.

Uma fica no centro da freguesia e a outra no lugar de Codessal, uma zona "bastante montanhosa".

"São uns seis quilómetros, serra acima", referiu.

Cerca de 300 eleitores que deveriam figurar nos cadernos eleitorais do centro da freguesia apareceram nos cadernos de Codessal.

A solução encontrada foi extrair, via internet, da página da Direção Geral das Autarquias Locais (DGAL), uma certidão de eleitor para cada uma daquelas 300 pessoas, que será anexada à ata final.

"Penso que foi uma solução acertada, porque há muita gente que não tem meio de transporte próprio e que, se fosse obrigada a ir a Codessal, pura e simplesmente ficaria sem votar", disse ainda Alberto Nídio.

Lembrando que "o erro foi da DGAL", sublinhou que o processo acabou por "não chocar em nada com a verdade eleitoral", porque são todos eleitores da mesma freguesia. 

19H18 - URNAS FECHARAM EM PORTUGAL CONTINENTAL E NA MADEIRA 

As urnas para as eleições autárquicas fecharam às 19h00 em todo o território continental e na Madeira. No Açores encerram uma hora depois, devido à diferença horária.

19H14 - CANDIDATO DO PSD IDENTIFICADO PELA POLÍCIA EM LEIRIA POR ALEGADA INFRAÇÃO

O candidato social-democrata à Câmara de Leiria foi identificado pela PSP "por se encontrar há muito tempo junto às mesas de voto" e o caso foi comunicado à Comissão Nacional de Eleições (CNE), disse à agência Lusa fonte policial.

O caso teve lugar às 16h50, junto à sede do Agrupamento de Escolas D. Dinis, onde se encontravam instaladas as mesas de voto, e a denúncia partiu da candidatura socialista à autarquia, depois de um primeiro contacto com a CNE justificado "pela permanência durante várias horas" do cabeça-de-lista do PSD, Álvaro Madureira, naquele local.

Fonte da candidatura do PSD afirmou que "o caso é estranho e ridículo", já que "não existe qualquer impedimento legal, tanto mais que "não existiu qualquer ostentação de símbolos ou incitamento ao voto".

A mesma fonte salientou que a lei eleitoral "apenas alude à presença junto às assembleias de voto, o que não aconteceu" com o cabeça-de-lista social-democrata.

17H01 MAIS DE METADE DOS PORTUGUESES AINDA NÃO VOTOU

A afluência às urnas até às 16h00 sitou-se nos 43,43%, abaixo dos valores registados nas anteriores eleições autárquicas, segundo a informação publicada pela Direção Geral da Administração Interna (DGAI).

Em 2009, à mesma hora, a afluência às urnas era de 45,03% e em 2005 era de 48%.

16H25 IMPEDIDO DE VOTAR POR TER SIDO DADO COMO MORTO

Um homem de 64 anos, residente em Faro, foi impedido de votar por ter sido dada baixa ao seu recenseamento na freguesia da Sé por motivo de morte, contou o próprio à agência Lusa.

Pedro Cabeçadas disse que, por terem havido alterações pela fusão ou extinção de algumas freguesias, esteve todo o dia de sábado a tentar confirmar o local onde votava através do envio de um SMS para o número disponibilizado pelas entidades oficiais para o efeito.

"Como não consegui, hoje decidi deslocar-me logo à Junta de Freguesia da Sé e, apesar do esforço inexcedível da funcionária, não consegui obter resposta porque o meu nome não constava dos cadernos eleitorais", lamentou.

Pedro Cabeçadas não pôde assim, pela primeira vez na sua vida, exercer o seu direito de voto, tendo posteriormente recebido uma resposta da Junta de Freguesia, que disse ter justificado a situação com o facto de "a Comissão Nacional de Eleições ter mandado uma carta e esta ter sido devolvida com a indicação que tinha falecido"

"Isto é ridículo. Mas é o país que temos. Convocam mortos para ir votar e não deixam os vivos votar porque dizem que estão mortos. É o que temos, infelizmente", criticou. 

Este eleitor considerou que a situação ainda é "mais estranha porque não houve mudança de residência, de estado civil ou de qualquer outro dado pessoal" e sublinhou que votou "toda a vida em Faro, estando inscrito na Junta de Freguesia da Sé e tendo integrado já assembleias de voto". 

16H010 QUEIXAS DE IRREGULARIDADES EM MATOSINHOS E LEÇA DA PALMEIRA

Três pessoas foram identificadas pela PSP em Leça da Palmeira por alegado apelo ao voto no PS a menos de 50 metros das urnas e em Matosinhos o PS queixou-se do candidato independente, revelou fonte policial.

O primeiro caso ocorreu pelas 11h30, em Leça da Palmeira, com "um delegado do PSD a denunciar à polícia que três indivíduos estavam na via pública a apelar ao voto no PS", a menos de 50 metros da Escola Secundária da Boa Nova, onde decorre a votação naquela localidade.

A PSP de Leça da Palmeira "identificou os três adultos, que não ostentavam nenhum cartaz nem foram apanhados em flagrante delito", mas "apareceram duas testemunhas a confirmar que pouco antes estavam a incitar ao voto", descreveu à agência Lusa fonte do Comando da PSP do Porto.

Em Matosinhos "ocorreu mais uma situação", descreveu a mesma fonte, indicando que uma esquadra local recebeu a denúncia de "uma delegada do PS" relativamente "a um senhor que seria candidato independente naquele concelho".

De acordo com a PSP do Porto, a delegada socialista acusou o candidato de "ter comparecido nas três mesas de voto da Escola Secundária Augusto Gomes, em Matosinhos, para cumprimentar os responsáveis das mesas de voto".

Em Matosinhos concorrem à presidência da Câmara nas autárquicas de hoje António Parada (candidato do PS), Guilherme Pinto (atual presidente da autarquia que deixou o PS para concorrer como independente), Pedro da Vinha Costa (PSD), Manuel Maio (CDS-PP), José Pedro Rodrigues (CDU), Fernando Queiroz (BE) e Orlando Cruz (PTP).

15H04 ASSALTADA JUNTA DE FREGUESIA EM PENAFIEL 

A junta de freguesia de Urrô, em Penafiel, foi atacada esta madrugada. À primeira vista, tudo aponta que o objetivo seria furtar os boletins de voto, mas estes não se encontravam nas instalações.

De acordo com o JN, uma das janelas foi partida durante o intento, tendo sido apenas furtados alguns euros que estavam na secretaria.

14H39 CANDIDATO MADEIRENSE TRANSPORTA ELEITORES ÀS MESA DE VOTO

O candidato do movimento Unidos Por São Vicente (UPSV) apresentou queixa ao presidente da mesa de voto da Fajã do Penedo (Madeira) contra o condutor de uma carrinha que transporta eleitores e que é candidato do PSD.

"Apresentei queixa ao presidente da mesa de voto para, posteriormente, solicitar à Policia de Segurança Publica a identificação do referido condutor", disse José António Garcês à agência Lusa. O candidato acrescentou ainda que será também apresentada queixa à Comissão Nacional de Eleições (CNE).

Segundo José António Garcês, funcionário público, dissidente do PSD-M e candidato pelo movimento UPSV à presidência da Câmara Municipal de São Vicente, a autarquia cedeu uma carrinha à Casa do Povo para transporte de eleitores e o veículo está a ser conduzido por um candidato à Assembleia de Freguesia pela lista do PSD.

O líder do UPSV considera que esta situação configura "uma irregularidade" por poder proporcionar "um alegado aconselhamento às pessoas transportadas e, assim, um tratamento desigual relativamente às outras candidaturas".

Num concelho com 6.464 eleitores, José António Garcês tem como adversários a recandidatura de Jorge Romeira, pelo PSD, e as candidaturas de Conceição Pereira, pelo BE, e de Baptista Monteiro, pela CDU.

13H13 VOTARAM MENOS PESSOAS ATÉ AO MEIO-DIA DO QUE EM 2009

A afluência às urnas até às 12h00 situou-se hoje nos 19,44 por cento, abaixo dos valores registados nas anteriores eleições autárquicas, segundo a informação publicada pela Direção Geral da Administração Interna (DGAI).

Em 2009, à mesma hora, a afluência às urnas era de 21,3% e, em 2005, de 20%.

13H00: URNAS E BOLETINS DESTRUÍDOS NA COVILHÃ

Cerca de 50 pessoas invadiram este domingo uma sala de voto em Ourondo, na Covilhã, acabando por destruir urnas e boletins.

A população começou por protestar de forma pacífica, tentando convencer os delegados a abandonar a sala de voto. Os ânimos acabaram por se exaltar e a população acabou por destruir urnas e boletins de voto. O CM sabe que a GNR foi chamada ao local.

11H58: ATRASOS NA VOTAÇÃO EM SEIS LOCAIS
Foram registados atrasos na abertura das urnas em cinco locais de Portugal continental e um nos Açores. Na localidade de Vila Franca do Campo, em São Miguel, foi autorizado pela CNE que se fizessem quadrados à mão.

Em Tondela (Viseu), os portões da antiga escola primária de Mosteiro de Fráguas foram durante a noite fechados a cadeado e os canhões das portas obstruídos, numa tentativa de boicote às eleições, mas a situação já está normalizada, de acordo com fonte da GNR.  A situação ficou resolvida cerca das 09h15.

O presidente da Junta de Freguesia, Paulo Roberto, julga tratar-se de um ato de protesto contra a reforma administrativa, que agregou a freguesia de Mosteiro de Fráguas à de Vilar de Besteiros. "O povo anda um pouco revoltado por causa da história da reorganização e as pessoas comentavam que ninguém devia ir votar, mas ninguém falava em boicotar".

Também em Chaves, na freguesia de Roriz, as urnas abriram mais tarde do que o normal por causa do furto dos boletins de voto, uma situação que acabou por ficar normalizada por volta das 10h00, segundo fonte da autarquia.

No distrito de Vila Real registaram-se também atrasos nas aberturas das urnas em Couto de Ervededo, concelho de Chaves, e Borbela, em Vila Real, devido a questões com chaves que levaram inclusive à decisão de arrombar as portas para se dar iníco à votação.

No Alentejo, em Évora, o início da votação na assembleia de voto instalada na escola André de Resende atrasou entre 10 a 15 minutos por falta de boletins de voto para a Assembleia Municipal, segundo fontes policiais e autárquicas.

Nos Açores, em Vila Franca do Campo, as urnas abriram com um atraso de meia hora a 45 minutos, depois de ter sido detetado um problema nos boletins de voto para a eleição para a câmara municipal.

Segundo disseram à Lusa fontes das duas candidaturas, apesar de os boletins incluírem as quatro candidaturas à câmara de Vila Franca do Campo, faltavam os quadrados para fazer a cruz à frente de duas delas: o movimento independente Novo Rumo e o PSD. As eleições prosseguiram depois de consultada a CNE e de os candidatos terem aceitado a solução da comissão: fazer à mão os quadrados em falta.

11H39: PORTO MONIZ: QUEDA DE TETO FERE DELEGADO DO PS
O delegado do PS na freguesia das Achadas da Cruz, concelho do Porto Moniz, ficou este domingo ferido na cabeça depois de ter sido atingido por parte do teto da antiga escola da localidade onde funciona uma mesa de voto.

"Tudo se passou muito depressa e o nosso delegado foi atingido na cabeça", disse à agência Lusa o candidato socialista à presidência da câmara municipal daquela localidade na costa norte da ilha da Madeira.

Segundo Emanuel Câmara, o delegado Francisco Cecílio Gomes, que é membro da junta de freguesia daquela localidade, "foi atingido na cabeça pelo teto que desabou, tendo ficado combalido".

"Chamámos uma ambulância para o socorrer", afirmou o candidato, adiantando que o delegado foi transportado para as urgências do concelho de São Vicente onde permanece em observação.

Apesar do incidente, a mesa continuou a funcionar, já que o delegado suplente estava no local, confirmou.

10H24: BOLETINS FURTADOS EM CHAVES
O furto dos boletins de voto em Roriz, no concelho de Chaves, atrasou a votação naquela freguesia, mas a situação deve ficar normalizada por volta das 10h00, disse à Lusa fonte da autarquia. Fonte da GNR confirmou que os documentos foram furtados do interior da sede da junta de Roriz, por arrombamento.

O presidente da Câmara de Chaves, João Batista, explicou que, quando aquela mesa de voto abriu esta manhã, se verificou que faltava a documentação, entre boletins de voto, atas ou editais. Por isso mesmo, segundo o autarca, foi preparado um novo envelope com os documentos, o qual já foi enviado para o local.

10H24 TROCA DE CHAVES E ARROMBAMENTO DE PORTAS EM VILA REAL
No distrito de Vila Real, registaram-se também atrasos nas aberturas das urnas em Couto de Ervededo, concelho de Chaves, e Borbela, em Vila Real.

Segundo a GNR, em Couto de Ervededo, houve uma troca de chaves, o que atrasou a abertura da porta do local onde se já procede normalmente ao ato eleitoral.

Já na secção de voto nº4 de Borbela, também se verificou um atraso na abertura da porta do local, que teve que ser arrombada, atrasando todo o processo, desde a instalação da urna à contagem dos boletins de voto. Neste local, o primeiro eleitor votou às 08h47.

10H24: FALTA DE BOLETINS EM ÉVORA
Em Évora, o início da votação na assembleia de voto instalada na escola André de Resende atrasou entre 10 a 15 minutos, devido à falta de boletins de voto para a Assembleia Municipal, disseram à agência Lusa fontes policiais e autárquicas.

Às 08h00, já havia eleitores a aguardar a abertura das urnas, o que aconteceu depois da chegada dos boletins para a Assembleia Municipal, passando a votação a decorrer normalmente.

10H13: URNAS EM PALMELA ABREM COM MEIA HORA DE ATRASO
Na Quinta do Anjo, em Palmela, as urnas não abriram às 08h00.

Os cidadãos da freguesia que votam na Sociedade de Instrução Musical só viram disponível a primeira mesa de voto às 08h30 porque os boletins chegaram com algum atraso, confirmou à CMTV o presidente da mesa de voto número um.

09H03: BOICOTE À ELEIÇÕES EM ALCOBAÇA

As urnas ainda não abriram este domingo na freguesia de Alpedriz, em Alcobaça. A fechadura da junta de freguesia daquela localidade foi bloqueada e não foi possível abrir as portas.

A população está contra a junção de três freguesias e por isso terá impedido a entrada para a junta como forma de protesto.

O CM sabe que a GNR esteve no local e explicou que só é possível entrar no edifício arrombando a porta.

CLIQUE NA IMAGEM E VEJA AS FOTOS COM MOMENTO DO VOTO DE VÁRIOS POLÍTICOS PORTUGUESES

palmela quinta do anjo urnas boletins votos eleições autárquicas
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)