Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

Paulo Sande diz que devolveu salário pago pela Presidência da República

Candidato do partido Aliança explica que suspendeu funções há três meses, mas que este mês foi-lhe feito o pagamento.
Aureliana Gomes 23 de Maio de 2019 às 15:22
Paulo Sande
Paulo Sande
Paulo Sande
Paulo Sande
Paulo Sande
Paulo Sande
Paulo Sande
Paulo Sande
Paulo Sande

Paulo Sande desvaloriza a polémica em torno do vencimento que lhe foi pago pela Presidência da República como assessor político de Marcelo Rebelo de Sousa.

O candidato do partido Aliança explica que suspendeu funções há três meses, mas que este mês foi-lhe feito o pagamento, o que é "um direito seu", no entanto pediu de imediato a devolução do dinheiro. "Apesar de ser um direito, disse imediatamente que não queria receber. Acho que devo dar o exemplo", disse o candidato em campanha no Porto. Sobre o facto de a notícia ter surgido a dois dias do fim de campanha, Sande não tem dúvidas que é uma manobra que tem a intenção de melindrar.

"Obviamente que sim, mas também estou a aprender. Tudo tem um objectivo, nada que eu não estivesse à espera. Já suspeitava que isso fosse acontecer e aconteceu", esclareceu.

A lei eleitoral prevê que todos os funcionários que sejam candidatos a eleições têm direito a dispensa no mês antes do ato eleitoral.

Paulo Sande está em campanha no Porto. Almoçou no Mercado Bom Sucesso, onde contactou com algumas pessoas. Termina o dia com um jantar, que vai contar com a presença de Rui Moreira.

Marcelo Rebelo de Sousa Paulo Sande Presidência da República Rui Moreira Aliança eleições
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)