Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

Robles vende por 5,7 milhões um prédio que lhe custou 347 mil euros

Imóvel foi comprado por Ricardo Robles e pela irmã em 2014. Político não vê contradição com discurso contra a especulação imobiliária.
27 de Julho de 2018 às 09:40
Ricardo Robles, vereador do Bloco de Esquerda em Lisboa
Ricardo Robles
Ricardo Robles
Ricardo Robles, vereador do Bloco de Esquerda em Lisboa
Ricardo Robles
Ricardo Robles
Ricardo Robles, vereador do Bloco de Esquerda em Lisboa
Ricardo Robles
Ricardo Robles
Ricardo Robles, vereador do Bloco de Esquerda, é co-proprietário de um edifício em Alfama que está à venda por 5,7 milhões de euros. Robles e a irmã, Lígia, compraram o prédio em 2014 à Segurança Social por347 mil euros.

O vereador bloquista, com a pasta da Educação e Direitos Sociais, não considera que haja "qualquer contradição" entre as suas posições quanto ao regime do arrendamento urbano e habitação em Lisboa, de que é um dos maiores críticos, e a sua venda deste imóvel. "A minha conduta como co-proprietário deste imóvel em nada diminui a legitimidade das minhas propostas para parar os despejos, construir mais habitação pública e garantir o direito à cidade", afirmou ao Jornal Económico, que avançou a notícia.

Robles justifica a venda com "razões familiares". O prédio foi comprado por ele e pela irmã com dois empréstimos, da Caixa Geral de Depósitos e do Montepio, e com financiamento por parte de parentes. Os dois irmãos investiram 650 mil euros em obras de requalificação e chegaram a acordo com quase todos os inquilinos para acabar os contratos de arrendamento - só um casal fez novo contrato de arrendamento, com uma renda mais alta e durante oito anos, e um proprietário de um restaurante no rés-do-chão colocou os irmãos Robles em tribunal, exigindo 120 mil euros de compensação.

O prédio está a ser vendido por uma imobiliária de luxo e Robles espera que a venda se faça "a breve trecho". Com esta venda, Robles conseguirá uma mais-valia de dois milhões de euros.

Em Março de 2018, Robles lamentou, em entrevista ao Diário de Notícias, que o problema da habitação se venha "a agravar em Lisboa". "Os preços continuam a aumentar brutalmente e isto está a criar uma crise social. Encontrar casa, seja para arrendar seja para compra, apesar de o crédito para a habitação estar mais acessível, continua a ser proibitivo", afirmou. "Esta é uma cidade cada vez mais para ricos e menos para lisboetas e para quem quer viver na cidade, para trabalhar, morar, estudar."

Robles nega que prédio esteja à venda por valor indicado
Esta sexta-feira, Ricardo Robles veio negar as informações avançadas pelo Jornal Económico. O político esclarece que o prédio em causa ainda não está à venda e que o valor avançado de 5,7 milhões de euros resultou da avaliação de uma imobiliária e que não é, necessariamente, o preço a que será posto no mercado.

"Procedi de forma exemplar"
O vereador da Câmara Municipal de Lisboa referiu, em conferência de imprensa na tarde desta sexta-feira, que procedeu "de forma exemplar com todos os arrendatários", acrescentando que, de acordo com a lei, nada do que fez é reprovável. Ricardo Robles afastou ainda um cenário de demissão. 

"Não comprei este prédio para o vender com mais-valias e, pela minha parte, não o farei", afirmou.

O vereador do Bloco de Esquerda justifica que a "decisão de vender [o imóvel] não estava nos seus planos" mas que o facto de a irmã não estar a viver em Portugal levou a que o prédio fosse colocado no mercado.

Quanto ao pedido de demissão feito pelo PSD, Robles referiu que este "não tem qualquer base".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)