Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Assalta casas de vizinhos mortos

Sem cadastro e com tempo livre mais do que suficiente para estudar os alvos, um reformado de 56 anos, residente em Celorico da Beira, decidiu voltar à vida activa, da pior forma. Escolhia as casas de vizinhos falecidos ou as que estavam desocupadas há algum tempo e assaltava-as. Os artigos furtados tinham destino certo: um estabelecimento de antiguidades da Guarda.

23 de Dezembro de 2011 às 01:00
Reformado tinha tempo para estudar os alvos e sabia que casas estavam vazias
Reformado tinha tempo para estudar os alvos e sabia que casas estavam vazias FOTO: Simulação

Após mais de uma dezena de furtos, praticados nos últimos três meses, o suspeito foi detido pela GNR e aguardava ontem pelas medidas de coacção impostas pelo tribunal. Na operação, foi identificado o proprietário do antiquário, na qualidade de alegado receptador.

Segundo informações do Comando Distrital da GNR da Guarda, a investigação permitiu aos militares apreender diverso equipamento de som e imagem e várias peças de louça antiga. Este material encontrava-se em casa do detido.

Para já, as autoridades indiciam o reformado "por mais de uma dezena" de assaltos a residências. Mas o número de crimes pode aumentar, tendo em conta que o suspeito optava por casas desocupadas e alguns proprietários dos imóveis ainda não apresentaram queixa por não terem detectado os furtos.

ROUBO ASSALTO GUARDA CELORICO DA BEIRA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)