Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

CASTELO DE PAIVA VIVE DRAMA SOCIAL

O drama social que se vive em Castelo de Paiva, com o encerramento da fábrica de calçado Clarks, que hoje manda mais 200 trabalhadores para a rua, está a gerar uma onda de pessimismo local, que preocupa principalmente o pequeno comércio.
31 de Janeiro de 2003 às 00:00
O chamado "efeito psicológico" da perda de emprego tem levado a que muitas pessoas, sem qualquer relação com a unidade fabril, estejam a "cortar nas despesas", diminuído o movimento comercial mais do que seria de esperar nesta altura.

"Há muita gente que, continuando a ter emprego, se sente constrangida a comprar, por exemplo bens de investimento como electrodomésticos, desde que surgiu o anúncio dos despedimentos", adianta Isaías Gaspar, um dos comerciantes instalados no concelho. As quebras de movimento fazem- -se sentir há vários dias, mas os comerciantes acreditam que "o pior virá lá para o Verão, quando o dinheiro destas famílias acabar".

O efeito de arrastamento não é só visível nos bens de luxo, isto porque, de uma forma geral, todo o pequeno comércio regista um abrandamento nas compras. Tal como adiantou ao CM, Rosa Louceira, proprietária de uma pequena mercearia, "os compradores estão a cortar em muita coisa e quando vêm à loja só levam mesmo o necessário".

O espectro de crise em Castelo de Paiva está também a interferir com o investimento. O nosso jornal apurou que, alguns comerciantes que pretendiam instalar-se num dos novos edifícios comerciais, que está em fase de acabamentos no centro da vila, têm desistido do negócio, perdendo mesmo o direito ao sinal avançado.

A relação entre a economia geral e a Clarks, a maior empregadora do concelho, já vem de trás. Segundo Isaías Gaspar, "a vinda da empresa na década de 80 quase quintuplicou o número de estabelecimentos comerciais" e explica: "O emprego das mulheres alterou os hábitos de consumo, porque aumentou o rendimento das famílias e tornou-as mais exigentes. A resposta do comércio e dos serviços não se fez por isso esperar."
Enquanto não surgem soluções para a Clarks, o comércio vaticina tempos difíceis.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)