Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Castro Daire: Bombeiros podem ficar sem água devido a dívida de 1,81 euros

Os bombeiros de Castro Daire arriscam ficar sem água se não pagarem uma dívida de 1,81 euros à autarquia até 30 de Abril, segundo um ofício enviado à corporação pelos serviços do município.
9 de Abril de 2012 às 12:02
Os bombeiros de Castro Daire arriscam ficar sem água se não pagarem uma dívida de 1,81 euros à autarquia até 30 de Abril
Os bombeiros de Castro Daire arriscam ficar sem água se não pagarem uma dívida de 1,81 euros à autarquia até 30 de Abril FOTO: Nuno André Ferreira

O presidente da direcção dos bombeiros, António Pinto, considera "uma coisa muito estranha" que o município ameace cortar o fornecimento de água "por causa de uma quantia irrisória".

Fonte do executivo contactada pela agência Lusa diz que o ofício "só pode ser considerado como um procedimento administrativo corrente e normal" e afasta a possibilidade de se tratar de algo "específico para com a associação" dos bombeiros de Castro Daire.

Este episódio surge quando a autarquia e os bombeiros de Castro Daire mantêm um diferendo devido a uma alegada dívida de 79 mil euros da Câmara Municipal à corporação, que remonta a 2008, antes da eleição do actual executivo.

António Pinto diz possuir "provas documentais" da sua existência e que o seu pagamento "significará o equilíbrio das contas" dos bombeiros, que atravessam uma "grande dificuldade em manter o ativo no socorro às populações".

Contactado pela Lusa, o presidente da autarquia, Fernando Carneiro, optou por não comentar o caso, alegando que o período da Pascoa "não é para alimentar quezílias", embora refute a ideia da existência dessa dívida.

Os bombeiros de Castro Daire estiveram semi-paralisados durante parte dos meses de Fevereiro e Março, porque o fornecedor habitual de gasóleo para as viaturas interrompeu o fornecimento devido a uma dívida de 20 mil euros.

Entretanto, à autarquia foi feito um pedido de avançar com três mil euros para remediar a situação, o que minimizou a dívida no fornecimento de gasóleo.

Segundo António Pinto, o problema, porém, só foi parcialmente ultrapassado com a mudança de fornecedor de combustível, embora sublinhe que "também já está em cima da mesa a ameaça de corte se não for paga parte da dívida acumulada" nas últimas semanas, quando o concelho foi palco de grandes incêndios florestais.

Para "clarificar em definitivo" a situação, a direcção dos bombeiros voluntários de Castro Daire agendou para a próxima quarta-feira uma reunião, da qual pode "sair a conclusão de que, desta forma, o trabalho dos bombeiros está comprometido na eficácia mínima que se exige" no socorro às populações, alerta António Pinto.

bombeiros de Castro Daire António Pinto água gasóleo dívida abastecimento de água Fernando Carneiro
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)