Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Colhida pelo metro a caminho de clínica

Ana Cordeiro, de 41 anos, fazia todos os dias o mesmo percurso.
Raquel Machado 5 de Abril de 2016 às 08:28
Ana Teresa Cordeiro tinha 41 anos. Acidente cortou circulação do metro e congestionou o trânsito na avenida
Ana Teresa Cordeiro tinha 41 anos. Acidente cortou circulação do metro e congestionou o trânsito na avenida FOTO: Eduardo Martins
Ana Teresa Cordeiro saiu de casa, na manhã de ontem, para ir à fisioterapia, como fazia todos os dias. Foi colhida pelo metro quando atravessava a linha, na avenida da República, Vila Nova de Gaia, entre as estações de General Torres e Câmara de Gaia, e não resistiu aos ferimentos.

"Ela passou aqui antes de ir para a clínica. Tinha um problema no joelho e andava na fisioterapia. Estamos muito chocados", contou ao CM a dona de um café, na rua General Torres, na freguesia de Santa Marinha, onde vivia a vítima, de 41 anos.

Ao que tudo indica, Ana Cordeiro terá calculado mal a distância a que estava da composição que seguia no sentido Porto/Santo Ovídio e foi atropelada por distração. O alerta foi dado por volta das 08h40 e, quando os Sapadores de Gaia chegaram ao local já pouco havia a fazer.

A vítima estava debaixo de uma das carruagens, que foi içada para ser feito o resgate do corpo. Apesar de todos os esforços, a mulher não conseguiu resistir aos ferimentos e o óbito acabou por ser declarado no local.


"Que tristeza vai naquela casa. O marido e os dois filhos estão de rastos", referiu a proprietária do café – que não quis ser identificada.

A linha de metro na Avenida da República esteve cortada durante mais de duas horas e a circulação só foi retomada por volta das 11h00. A PSP está agora a investigar o acidente fatal.

A ausência de barreiras à circulação livre de pessoas levou já a vários acidentes com o metro na avenida central de Gaia.

Ana Teresa Cordeiro Vila Nova de Gaia Porto PSP acidente atropelamento morte
Ver comentários