Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Divórcio leva médica a crime

Telma Garcia traía marido. Quando o homem descobriu tentou matá-lo.
Magali Pinto 21 de Setembro de 2015 às 14:14
Momento em que Telma Garcia é levada para a esquadra, no Brasil, em julho do ano passado
Momento em que Telma Garcia é levada para a esquadra, no Brasil, em julho do ano passado FOTO: DR
Telma Garcia, médica de 28 anos, traía o marido na Suíça, mas não aceitou o pedido de divórcio quando o homem descobriu a infidelidade. Combinou com o amante brasileiro envenenar o companheiro dentro de casa em Rossens, cantão de Fribourg. Prepararam um cocktail com veneno e obrigaram-no a beber.

A vítima resistiu, levou uma facada nas costas dada pela médica, mas ainda assim conseguiu escapar. Estávamos em abril do ano passado. O objetivo dos dois amantes era matar o marido de Telma e depois ocultar o cadáver. Não conseguiram.

Em julho do ano passado, a médica, que é natural de Abrantes mas tirou o curso em Lisboa, foi apanhada no Brasil para onde fugiu após o crime. Desde então, está numa cadeia onde divide a cela com dezenas de reclusas. Agora o Supremo Tribunal Federal concordou parcialmente em extraditar Telma Garcia para a Suíça para ser julgada. Arrisca 30 anos de cadeia.

Telma Garcia será levada para a Suíça, quando forem superadas as questões legais.

A mulher estava na altura a trabalhar como assistente médica numa clínica da Suíça. No Brasil, ajudava numa padaria da família do namorado. Em Portugal, os pais desconheciam o seu paradeiro.
Telma Garcia Suíça tentativa de homicídio Brasil Supremo Tribunal Federal
Ver comentários