Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Falso peditório para cancro rende 1 milhão

Contactavam telefonicamente as vítimas e usavam o nome de instituições conhecidas.
Secundino Cunha 29 de Junho de 2017 às 09:11
Tribunal de Famalicão
Polícia apreendeu material diverso
Tribunal de Famalicão
Polícia apreendeu material diverso
Tribunal de Famalicão
Polícia apreendeu material diverso
Usavam o nome de instituições de solidariedade conhecidas e pediam dinheiro para crianças com cancro que não existiam. Desta forma, ao longo de mais de seis anos, burlaram quase três mil pessoas em mais de um milhão de euros.

O esquema de falsos peditórios foi investigado pela PSP ao longo de mais de seis meses e culminou ontem com a detenção de dois homens, de 68 e 40 anos, e uma mulher de 35. O mais velho é um antigo funcionário dos serviços municipalizados de água e saneamento da autarquia famalicense.

O esquema montado por este trio implicava ainda a contratação temporária de diversas pessoas, quase sempre jovens raparigas, que faziam os telefonemas e recolhiam os donativos.

As vítimas eram contactadas por telefone, a quem era contada a história de determinada associação que estava a ajudar uma criança de famílias pobres e que precisava de dinheiro para tratamentos caros, em Portugal ou no estrangeiro. As pessoas acreditavam com facilidade e acertavam de imediato a entrega da quantia combinada.

Muitas das pessoas burladas residem na região do Minho, mas, segundo as centenas de fichas apreendidas pela PSP, há vítimas das mais diversas regiões do continente e da ilha da Madeira.

Os arguidos, que são acusados da prática dos crimes de burla agravada e associação criminosa, são hoje presentes ao juiz de instrução criminal do Tribunal de Famalicão.
Tribunal de Famalicão PSP Portugal Madeira Minho peditório cancro
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)