Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

FICOU COM O PÉNIS ENTALADO

Um indivíduo de 36 anos de idade está internado no Hospital de S. João, no Porto, por, no passado domingo, ter estrangulado o pénis numa chave de estrias.
27 de Março de 2003 às 00:00
O homem, que tem residência em Ferreiros, no concelho de Braga, terá, segundo confessou no hospital, utilizado a chave para a concretização de uma experiência solitária de prazer.

Segundo o que conseguimos apurar, o homem ainda tentou retirar a chave à força mas, como o pénis inchou bastante e de forma rápida, não teve outra alternativa senão recorrer aos serviços de urgência do Hospital de S. Marcos, em Braga.

Acontece que, na tentativa de retirar a chave, o indivíduo causou algumas lesões no pénis, o que agravou a situação, já que, segundo fonte médica, o órgão genital 'intumesceu' e, rapidamente, a experiência, que o homem esperava de prazer, passou a ser de dor.
Perante a gravidade do problema, dado que o inchaço já cobria a argola metálica da chave, também conhecida como chave de luneta, os médicos da urgência de Braga optaram por transferir a vítima para o Hospital de S. João, no Porto, onde chegou cerca das 07h00 de domingo.

Uma vez no local, o homem foi submetido a uma intervenção cirúrgica para extracção do objecto estranho do pénis. Fonte do Hospital de S. João disse ao CM que a vítima continua internada no Serviço de Cirurgia e está a recuperar favoravelmente.

A mesma fonte assegurou que, mediante a gravidade da situação, chegou a ser equacionada a hipótese de amputação do pénis, mas se não se registarem novas complicações, essa hipótese está, para já, afastada.

CONSCIÊNCIA DOS RISCOS

O sexólogo José Pacheco explica que muitas pessoas “gostam de testar os limites a novel sexual, sem terem consciência dos riscos” e por isso recorrem a objectos perigosos para atingir prazer.

O responsável alerta para a necessidade de “as pessoas terem sempre a noção dos perigos”, mas recorda que para muitos indivíduos é exactamente o prazer do risco que os leva a tomar certas atitudes estranhas. “Há pessoas que chegam a morrer asfixiadas em experiências de prazer”, explica. Segundo o sexólogo, a maior parte dos casos são resolvidos nos hospitais e poucos são os indivíduos que recorrem depois aos especialistas por “terem vergonha”.

TRÊS SITUAÇÕES INSÓLITAS VIVIDAS EM URGÊNCIAS HOSPITALARES

GARRAFA DE CERVEJA
Um indivíduo de 45 anos apareceu na urgência com a mão na barriga, cheio de dores. O médico sentiu algo duro, julgou ser uma pedra na bexiga e mandou fazer um Raio X. O resultado foi surpreendente: na ampola rectal estava uma garrafa de cerveja, cheia, e ainda com a tampa. Com uma anestesia os clínicos tiraram a garrafa, dilatando o ânus.

LENÇOL DE BANHO
Tinha 60 anos e uma namorada mais nova e por isso injectava papaverina no pénis para ter erecção. Um dia a namorada atrasou-se para o encontro e o idoso deu duas injecções o que provocou uma trombose no pénis, provocando um inchaço gigante. Chegou ao hospital, sem calças, com um lençol branco a tapar o pénis. Foi operado de urgência.

REPOLHO DE FORA
Um jovem com pouco mais de vinte anos chegou ao hospital cheio de dores, com um nabo dentro do ânus e o repolho, isto é, o ramo do nabo, de fora. O jovem explicou aos médicos que quis fazer uma experiência e depois não conseguiu retirar o nabo. Os clínicos tiveram de lhe dar uma pequena anestesia para dilatar o ânus e retirar o nabo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)