Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Filho de mulher encontrada morta em Paço de Arcos detido pela PJ

O agressor terá passado o Natal com o cadáver da mãe em em casa.
24 de Janeiro de 2018 às 12:02
Corpo de vítima retirado da casa de Paço de Arcos
Corpo de vítima retirado da casa de Paço de Arcos
Mulher encontrada morta em casa  em Paço de Arcos
Corpo de vítima retirado da casa de Paço de Arcos
Corpo de vítima retirado da casa de Paço de Arcos
Corpo de vítima retirado da casa de Paço de Arcos
Mulher encontrada morta em casa  em Paço de Arcos
Corpo de vítima retirado da casa de Paço de Arcos
Corpo de vítima retirado da casa de Paço de Arcos
Corpo de vítima retirado da casa de Paço de Arcos
Mulher encontrada morta em casa  em Paço de Arcos
Corpo de vítima retirado da casa de Paço de Arcos
A Polícia Judiciária anunciou esta quarta-feira a detenção do filho da mulher que foi encontrada morta em casa, em Paço de Arcos, no início deste mês.

Em comunicado, a PJ revela que "aparentemente por motivos fúteis, o detido terá desferido vários golpes com arma branca no corpo da vítima, vindo a provocar a sua morte".

O detido, que vivia com a mãe, já não era visto no local há vários dias Segundo a PJ, "após os factos, o presumível autor continuou a viver na residência, na presença do cadáver, acabando por a abandonar no final do mês de dezembro". O agressor terá passado o Natal com a mãe morta.

A vítima foi descoberta em casa no dia 12 de janeiro, depois de os vizinhos terem alertado as autoridades por causa do cheiro nauseabundo que vinha da casa. O corpo da muher de 70 anos estava em decomposição. A mulher já não era vista desde antes do Natal.

A vítima vivia em casa com o filho, que deixou de ser visto depois de os vizinhos terem dado pela ausência da mãe, que era conhecida no bairro de Paço de Arcos onde vivia.

A
 Polícia Judiciária veio a localizar o suspeito de homicídio no distrito de Lisboa


Autópsia revela violência

A autópsia ao cadáver da mulher de 70 anos encontrado numa casa de Paço de Arcos, no concelho de Oeiras, revela sinais de violência

Após a descoberta do corpo, a PSP levou os restos mortais, por indicação da Polícia Judiciária, para o Instituto de Medicina Legal de Lisboa. A autópsia realizou-se nos últimos dias e os inspetores da secção de Homicídios da Judiciária de Lisboa encarregues da investigação – e que estiveram na casa de Paço de Arcos no dia em que o corpo foi descoberto – já estarão na posse do relatório.

As marcas de violência no corpo serão visíveis, apontando a autópsia para que a morte tenha ocorrido há cerca de três ou quatro semanas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)