Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Forças Armadas exigem mais capelães militares

O bispo das Forças Armadas, D. Januário Torgal Ferreira, não consegue dar resposta a metade das solicitações de assistência religiosa a unidades da Marinha, Exército e Força Aérea. Em declarações ao CM, o prelado, que tem o posto de major-general, diz que todos os dias lhe pedem capelães e que "os padres na tropa não chegam a meia missa".
7 de Abril de 2008 às 00:30
D. Januário garante que, dos generais aos soldados, ninguém abdica dos capelães militares
D. Januário garante que, dos generais aos soldados, ninguém abdica dos capelães militares FOTO: José Barradas

'Tenho 42 padres nas capelanias militares dos três ramos das Forças Armadas e mais de um terço acumulam com a função de pároco de mais do que uma freguesia', disse D. Januário, lembrando que 'os militares também sentem o problema da falta de vocações sacerdotais'.

D. Januário diz que 'são os militares, desde as mais altas patentes aos soldados, que exigem a presença nas diversas unidades ou nas missões internacionais do capelão militar'. Sublinhando que tem acompanhado 'com muito interesse' a polémica em torno dos capelães hospitalares, a quem o Governo pretende deixar de pagar, D. Januário garante que, no que diz respeito às Forças Armadas, há um aumento de solicitações.

'Ainda estes dias tive de resolver a questão do Kosovo, para onde seguiu um capelão. Foram os comandantes da missão e mesmo o seu Estado--Maior que disseram tratar-se de algo de fundamental para o bem-estar emocional dos homens e mulheres que ali prestam serviço', afirmou o bispo general.

Nesta altura, os 42 padres a prestar serviço nas capelanias militares respondem a cerca de metade das necessidades. Basta referir que há duas décadas, entre elementos do quadro e milicianos, os sacerdotes eram cerca de uma centena. Sabendo que nunca serão atingidos esses números, D. Januário diz que são precisos, pelo menos, mais uma dezena para 'responder aos apelos mais urgentes'. O problema é que os outros bispos não querem mandar padres para a tropa.

OUTROS APONTAMENTOS

HOSPITAIS

Está prestes a ser resolvida a questão da assistência religiosa nos hospitais. As reuniões entre o Ministério da Saúde

e elementos da Pastoral da Saúde têm corrido bem. Os capelães vão continuar.

ESCOLA

Apesar de não sentirem as aulas de Religião e Moral ameaçadas, os bispos notam 'má vontade' de várias escolas e dizem que, muitas vezes, nas matrículas, há quem tente 'desviar' os alunos.

DESPORTO

Depois do sucesso do Fátima, dirigido por um sacerdote, foram vários os clubes a pedir apoio a padres.

Tudo aponta para que vários clubes passem a ter o seu 'director espiritual'.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)