Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Juntas médicas questionadas

O Sindicato dos Professores do Norte lamentou ontem a sucessão de casos relativos a doenças de professores avaliadas de forma “estranha” por juntas médicas, quando existem situações graves e visivelmente incompatíveis com o exercício da profissão.
5 de Julho de 2007 às 00:00
Maria de Belém quer formação
Maria de Belém quer formação FOTO: Sérgio Lemos
“Estão em causa decisões que, antes de mais, significam uma grande falta de respeito pelas pessoas”, protestou Lurdes Salgueiro, do SPN, comentando a recusa do pedido de aposentação do professor Artur Silva, que ficou sem voz devido a um cancro na garganta, acabando por falecer como docente da Escola Alberto Sampaio, em Braga. Em Aveiro, uma professora com leucemia não teve melhor sorte.
Para evitar a repetição destes casos, o grupo parlamentar do PS defende formação específica para quem integre juntas médicas. A deputada Maria de Belém sublinhou ontem que o problema não está na legislação mas na forma como é aplicada.
No entanto, João Lucas, presidente da assembleia de escola da Alberto Sampaio e colega de Artur Silva, mostra-se reticente quanto à iniciativa, por entender que “o que parece estar a acontecer é que há ordens superiores para que os médicos apertem ainda mais o funil”.
Por sua vez, o CDS-PP exigiu ontem explicações à ministra da Educação, por estar em causa a qualidade do ensino e porque “não pode lavar as mãos” destes casos . Perante isto, o Ministério da Educação condenou o que diz ser um “aproveitamento político de dramas pessoais”.
Ver comentários