Mais de cem fuzileiros regressam a casa

Missão na Lituânia durou quatro meses.
Por Tânia Monteiro e Magali Pinto|16.09.18
Foram quatro meses a promover a segurança em Klaipeda, na Lituânia. Ontem, os 140 fuzileiros terminaram a missão e voltaram a pisar solo português. E o reencontro com as famílias, no Aeroporto de Figo Maduro, em Lisboa, foi caloroso, recheado de beijos e abraços dos familiares que passaram os últimos meses com saudades. Centenas de pessoas aguardaram ansiosamente a chegada da força de Fuzileiros.

"Estar longe da família foi uma missão que nos foi atribuída desde o primeiro dia em que decidimos aceitar este desafio. Eles estão sempre do nosso lado e apesar da distância são um grande apoio numa altura em que estamos fora do nosso país e da nossa casa", contou o 2º Comandante da Força de Fuzileiros, Fernando Batista, que também considerou a missão como "um sucesso".

"Conseguimos que Portugal se tornasse num instrumento relevante como promotor de segurança e paz. Durante o período de missão tivemos uma integração muito forte e coesa. No final do segundo mês já estávamos perfeitamente integrados junto das forças armadas da Lituânia, bem como da sociedade civil", admitiu, pouco depois de aterrar.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!