Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Militares multados por parar patrulha para jantar com amigos

Guardas estiveram durante duas horas a jantar com amigos, em Vila Nova de Cerveira.
Ana Silva Monteiro 29 de Janeiro de 2019 às 08:54
GNR
GNR
Tribunal de São João Novo, no Porto
GNR
GNR
Tribunal de São João Novo, no Porto
GNR
GNR
Tribunal de São João Novo, no Porto
Os dois militares da GNR, que abandonaram o serviço por mais de duas horas para irem a um jantar, a 6 de fevereiro de 2017, em Vila Nova de Cerveira , foram condenados esta segunda-feira pelo Tribunal de São João Novo, no Porto, a penas de multa. Um dos arguidos tem de pagar 480 euros e o outro 315.

A pena dos dois guardas foi atenuada por terem admitido os acontecimentos.

O tribunal deu como provado todos os factos da acusação. Os dois homens, de 36 e 53 anos, tinham sido nomeados para patrulharem o posto, num serviço que só deveria ser interrompido caso se registasse alguma ocorrência ou pelo período máximo de meia hora para uma refeição.

Nesse dia o mais novo dos guardas chegou ao serviço doente. Foi durante o patrulhamento que decidiram passar por casa de um amigo para pedir um comprimido para a dor de cabeça. Foi esse mesmo amigo que os convidou depois para jantar juntamente com outros convidados, refeição que durou mais de duas horas.

Quando a situação foi conhecida os dois militares foram alvo de um processo disciplinar.

O tribunal tinha determinado penas de prisão de dois meses para um dos guardas e de um mês e 15 dias para outro, mas decidiu substituir as mesmas por multas.

O guarda de 53 anos foi o que ficou com a pena mais pesada, já que no dia dos factos tinha assumido a qualidade de comandante da patrulha por ser o mais antigo em serviço. O tribunal considerou que por ter o cargo superior tinha o dever de dar o exemplo.
GNR Vila Nova de Cerveira Tribunal de São João Novo Porto polícia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)