Morreu Catalina Pestana, a voz amiga das vítimas da Casa Pia

Antiga Provedora marcou instituição durante o escândalo de pedofilia. Esteve sempre do lado das vítimas.
Por João Carlos Rodrigues|23.12.18
Se eu fosse discreta não tinha havido processo. Vou carregar este fardo a vida toda com muita honra." A frase resume o impacto que Catalina Pestana teve na Casa Pia de Lisboa e na sociedade portuguesa.

Uma mulher que tanto era vista como ‘a dama de ferro’ como ‘a mãe dos gansos’, apelido dado aos menores acolhidos na instituição. Morreu este sábado, vítima de uma infeção generalizada, num hospital de Lisboa em que estava internada há duas semanas.

Maria Catalina Batalha Pestana nasceu no Barreiro a 5 de maio de 1947 e foi entre o Tejo e o Sado que cresceu. A licenciatura em Filosofia motivou a travessia para Lisboa da margem Sul do Tejo. Tornou-se professora num colégio feminino aos 24 anos e organizadora de férias para filhos de presos políticos, o que a colocou sob vigilância da PIDE.

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!