Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

MORTE GERA CONFRONTOS

O Bairro 6 de Maio, na Damaia, voltou a ser palco, na madrugada de ontem, de confrontos entre polícia e moradores após estes terem cortado uma estrada contestando a morte de um jovem, da qual culpam a polícia. Às 23h30 de sexta-feira, José Carlos Vicente, o ‘Teti’, de 16 anos, morreu no Hospital Amadora-Sintra, o protesto foi imediato e só pelas 03h15 foi restabelecida a ordem no local.
20 de Junho de 2004 às 00:00
A família atribui a morte de ‘Teti’ a maus tratos que lhe terão sido infligidos após ter sido levado, na quarta-feira, à esquadra da Reboleira, por suspeita de furto. Mas a PSP nega qualquer responsabilidade.
“A morte gerou conflitos porque a população dizia que estava relacionada com a intervenção da polícia, dois dias antes, quando o jovem foi apenas identificado na esquadra, tendo saído acompanhado dos pais”, explicou o comissário Coimbra da PSP, que garantiu a abertura de um inquérito para apurar o sucedido na esquadra da Reboleira.
No entanto, a mãe de ‘Teti’, Lucilena Vaz, apesar de confirmar ao CM a ida à esquadra, com o seu marido “já depois da meia-noite de quarta-feira”, não só criticou a detenção do seu filho como o que se terá passado durante a mesma.
“Sabemos que dois polícias algemaram o meu filho e bateram-lhe. O ‘Teti’ nem conseguia andar quando o fomos buscar e passou mal o dia e a noite. Uma monitora da escola levou-o para o hospital mas não adiantou nada”, acusa a mãe.
Lucilena Vaz não conseguiu dizer mais nada, mas Agostinha, tia de ‘Teti’, completou: “O meu sobrinho esperou horas para ser atendido e nem sequer lhe deram soro”.
O hospital refere que o jovem apenas se queixou dos tornozelos e nada foi encontrado. No entanto, quando ia abandonar o Amadora-Sintra entrou em paragem cardíaca, tendo morrido na Reanimação.
A família aguarda o resultado da autópsia – a realizar segunda-feira – para então decidir o que fazer.
TIROS, PEDRADAS, VIATURAS QUEIMADAS E POLÍCIAS FERIDOS
O Bairro 6 de Maio esteve a ferro e fogo. Entre as 23h00 de sexta--feira e as 03h30 de ontem foram vários os focos de conflitos entre os moradores e a PSP. Vários moradores e quatro agentes ficaram feridos – dois dos quais tiveram de receber tratamento hospitalar – na sequência dos desacatos. E os bombeiros da Amadora, cujos carros foram apedrejados logo à chegada (01h20), tiveram de aguardar pela protecção do Corpo de Intervenção da PSP para poderem combater os diversos focos de incêndio ateados pelos revoltosos.
Tudo começou pelas 23h00, quando um grupo de moradores do bairro, ao saber da morte de ‘Teti’, começou a manifestar a sua indignação, colocando contentores do lixo à saída do Beco do Bolama, obstruindo a via pública. Chegaram mesmo a lançar avisos de que iriam invadir esquadras da polícia. A PSP compareceu no local e pelas 23h20 a “ordem foi reposta” segundo fonte policial. No entanto, pouco depois dos agentes abandonarem o local, um grupo de cerca de 70 manifestantes voltou a cortar a estrada e lançou fogo aos contentores e a um carro abandonado.
Segundo a PSP, apedrejaram os polícias, carros particulares e também as viaturas dos Bombeiros da Amadora. “Havia disparos de todo o lado. Até se ouviu uma rajada vinda do bairro, quando nenhum elemento nosso tinha armas automáticas”, disse fonte da PSP, que nesse segundo momento foi reforçada com elementos das 3.ª e 4.ª Divisões de Lisboa.
A PSP teve de recorrer a disparos de armas anti motim – que feriram vários moradores – e bastonadas para conseguir controlar os ânimos mais exaltados. A situação só foi definitivamente resolvida pelas 03h15, com a acção do Corpo de Intervenção. Fonte policial sublinhou que a família de ‘Teti’ não participou no motim.
OUTROS CASOS
ZAMBUJAL
Um jovem de 20 anos morreu após ter sido baleado na cabeça por um agente da PSP, durante uma ‘operação stop’ realizada em 26 de Março de 2003, no Bairro do Zambujal, Amadora. Segundo a polícia, Carlos Reis foi mandado parar, mas desobedeceu à ordem.
BELA VISTA
Atingido por dois tiros de uma ‘shot-gun’ disparada por um polícia, Manuel Pereira ‘Toni’, acabou por morrer quando intervinha numa briga entre amigos. Foi a 20 de Junho de 2002, no Bairro da Bela Vista, em Setúbal,
COVA DA MOURA
A 5 de Dezembro de 2001, no Bairro da Cova da Moura, Buraca, um jovem de 17 anos foi baleado mortalmente por um agente da PSP. Ângelo Semedo tentava fugir à polícia quando foi atingido nas costas.
Ver comentários