Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

PATRÃO DA NOITE VENDIA COCAÍNA NA MARGEM SUL

Três indivíduos, todos cabo-verdianos, e entre eles o gerente de uma discoteca do concelho da Moita, foram detidos pela Esquadra de Investigação Criminal (EIC) da PSP do Barreiro suspeitos da prática de tráfico de droga, em particular cocaína, acabando por ficar em prisão preventiva, por determinação do Tribunal da Moita. Dois foram para a cadeia do Montijo e outro para a de Setúbal.
18 de Maio de 2003 às 00:05
Os investigadores da Divisão da PSP do Barreiro têm reprimido o tráfico de droga
Os investigadores da Divisão da PSP do Barreiro têm reprimido o tráfico de droga FOTO: Pedro Catarino
O gerente de discoteca era o chefe do grupo e, embora não tenha usado o estabelecimento nocturno para o tráfico, era bem conhecido na ‘noite’ da Margem Sul do Tejo, pela organização de festas, condição que lhe dava uma grande margem de manobra entre os ‘dealers’. Encontros entre os três indivíduos chegaram a ocorrer na discoteca em causa, embora as vendas de droga, segundo parece, nunca terão sido realizadas no espaço nocturno.
Mas a actividade do suspeito não se limitava à Margem Sul, em particular os concelhos da Moita e do Barreiro. Um dos indivíduos agora detidos era de Paço de Arcos, concelho de Oeiras, para onde também levava cocaína. E o gerente de discoteca foi precisamente apanhado na altura em que acabara de realizar uma transacção de mais de cem gramas de cocaína com esse suspeito.
Esta transacção de droga efectuou-se na noite da passada quarta--feira, cerca das 02h00, nas imediações da praça de touros da Moita e o duo foi surpreendido dentro do carro do gerente de discoteca.
O suspeito de Paço de Arcos já tinha com ele a cocaína, e os agentes da EIC avançaram para surpreender o duo. No carro foi ainda descoberta uma pistola adaptada para o calibre 7,65, mas os agentes realizaram ainda na quarta-feira três buscas domiciliárias, inclusive à casa do suspeito que morava em Paço de Arcos. Em todas elas foram encontradas doses de cocaína, se bem que em pequenas quantidades, embora o suficiente para conseguir apresentar provas junto do tribunal que testemunhassem a prática de tráfico de droga.
Daí a decisão do Tribunal da Moita, que determinou a prisão preventiva para todos os suspeitos, inclusive do terceiro, cujo papel na rede não foi possível apurar.
UMA FIGURA BEM CONHECIDA E HÁ MUITO SUSPEITA
O gerente de discoteca, com pouco mais de 30 anos e agora detido pela PSP do Barreiro, era um indivíduo há muito referenciado pelas autoridades pelo tráfico de droga, mas só há cerca de três meses foram conseguidas algumas pistas que puderam levar os agentes da Esquadra de Investigação Criminal a uma actividade mais consistente.
Quanto ao facto de o tráfico incidir sobre a cocaína, o comandante da Divisão da PSP do Barreiro, subintendente Torrado, salientou que este tipo de droga “começa a ser muito consumido por quem frequenta a ‘noite’”. É por esta razão que a “PSP do Barreiro tem incidido cada vez mais a sua atenção para as redes de tráfico que abastecem a ‘noite’, sejam fornecedoras de cocaína, haxixe ou anfetaminas. Há grupos muitos jovens a consumir estes tipos de droga e isso para nós é preocupante”, mas isto “sem descurar o ‘tradicional’ consumo de heroína, como foi exemplo a recente operação realizada no Bairro das Palmeiras, que levou a 11 detenções, com oito que passaram a prisão preventiva”.
Mas, no entanto, até às operações não se levará demasiado tempo? “É difícil para quem está de fora perceber o esforço enorme da Divisão, em particular da investigação. O tempo que demoramos tem a ver com a necessidade de recolha de provas consistentes. Sem provas fortes nunca conseguiremos tirar os criminosos das ruas.”
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)