Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Penas suspensas para jovens que assaltaram casa em Aveiro em 2017

Quatro arguidos traçaram um plano para entrar na residência e apropriarem-se da droga e dinheiro.
Lusa 12 de Novembro de 2018 às 20:57
Tribunal de Aveiro
Tribunal de Aveiro
Tribunal de Aveiro
Tribunal de Aveiro
Tribunal de Aveiro
Tribunal de Aveiro
Tribunal de Aveiro
Tribunal de Aveiro
Tribunal de Aveiro
Tribunal de Aveiro
Tribunal de Aveiro
Tribunal de Aveiro
O Tribunal de Aveiro condenou esta segunda-feira a penas suspensas, que variam entre dois anos e dez meses e os cinco anos de prisão, quatro jovens suspeitos de terem assaltado uma casa em Aveiro, absolvendo o alegado mentor do plano.

Durante a leitura do acórdão, a juíza presidente disse que resultou provado que os quatro arguidos traçaram um plano para entrar na residência e apropriarem-se da droga, dinheiro e outros bens que ali encontrassem.

Já quanto ao alegado mentor, a magistrada disse que não resultou provado que este estivesse a par da atuação dos restantes arguidos no processo, absolvendo-o dos dois crimes de roubo de que estava acusado.

Durante o julgamento, este suspeito reconheceu ter indicado a casa que foi alvo do assalto, como sendo um local onde se podia comprar droga, mas negou ter delineado qualquer plano de assalto.

A juíza referiu ainda que os jovens envolvidos nos roubos assumiram parte da sua intervenção nos factos, mas apresentaram versões "manifestamente divergentes" e "omissas em muitos aspetos", o que levou o coletivo de juízes a concluir que "não pretenderam esclarecer na íntegra o ocorrido".

A pena mais reduzida foi aplicada a um arguido que tinha 16 anos à data dos factos e que beneficiou do regime especial para jovens delinquentes.

Todas as penas foram suspensas com a obrigação de os arguidos se sujeitarem a regime de prova e ao controlo da abstinência de produtos estupefacientes e eventual tratamento.

Após a leitura do acórdão, a juíza dirigiu-se aos arguidos dizendo-lhes que esta era uma oportunidade que o tribunal lhes dava para alterarem a sua vida e se manterem "afastados destes caminhos".

O Tribunal revogou ainda a medida de coação de prisão domiciliária que tinha sido aplicada a todos os arguidos.

Os factos ocorreram na manhã do dia 28 de dezembro de 2017, numa moradia situada na freguesia de São Bernardo, em Aveiro.

De acordo com a investigação, os suspeitos entraram na habitação, onde se encontravam a dona da casa e o filho e ameaçaram-nos com dois objetos semelhantes a uma arma de fogo e a uma navalha.

Depois do assalto, os jovens fugiram do local, levando consigo dois telemóveis, uma televisão, dois computadores portáteis e um 'tablet', e dirigiram-se para Águeda, onde fizeram a divisão dos artigos roubados.
São Bernardo Tribunal de Aveiro Águeda presidente crime lei e justiça questões sociais julgamentos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)