Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Põe neto a pedir e rouba carteiras

Menino de quatro anos esteve à guarda da avó e foi levado para instituição.
Francisco Manuel e Nelson Rodrigues 21 de Maio de 2015 às 13:12
Joaquina Gonçalves à saída do Tribunal de Pequena Instância do Porto, acompanhada pelo cúmplice
Joaquina Gonçalves à saída do Tribunal de Pequena Instância do Porto, acompanhada pelo cúmplice FOTO: CMTV
Na rua onde vive há 30 anos, nunca ninguém conheceu uma profissão a Joaquina Gonçalves, de 85 anos. ‘Quina’, como é conhecida a dona de um apartamento, num prédio da rua Miguel Bombarda, em Ermesinde, tem um longo historial como carteirista. Foi condenada três vezes com multas. Uma das quais, há cerca de 15 anos, por usar o neto, então com quatro anos, para pedir esmola à porta de uma igreja de Santo Tirso, enquanto a mulher roubava carteiras.

O menino, que ficara à guarda da avó após a morte da mãe, foi então entregue a uma instituição. Hoje, tem 18 anos e não fala com a mulher.

Desde muito nova, a idosa, que nasceu em Fafe, é presença habitual nas barras dos tribunais. Atua sempre em festas e feiras, e nunca perto de casa. As vítimas fazem queixa às autoridades, mas muitas acabam por desistir e a idosa escapa à Justiça. Foi o que aconteceu ontem de manhã, no Tribunal de Pequena Instância do Porto.

À saída, a mulher tirou do bolso a foto de uma santa, beijou-a, sorriu e disse: "É ela que me protege". A idosa foi detida no dia 5, durante a Queima das Fitas do Porto. Dois agentes da PSP viram-na roubar a carteira a uma idosa e seguiram-na até à estação de S. Bento, onde a detiveram com um cúmplice.
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)