Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

POLÍCIA CHAMADA À MISERICÓRDIA

A polícia foi ontem chamada a intervir em mais um episódio da polémica que atinge a Santa Casa da Misericórdia de Leiria, alvo de suspeitas de assédio sexual, má gestão e coacção psicológica a funcionárias.
15 de Julho de 2003 às 00:00
O provedor Fernando Lopes é acusado de má gestão pelo advogado Manuel Carreira
O provedor Fernando Lopes é acusado de má gestão pelo advogado Manuel Carreira FOTO: Cláudio Garcia
A presença da PSP foi solicitada pelo provedor Fernando Lopes, que não gostou de ver o advogado Manuel Carreira na instituição nem o funcionário que disse ter sido coagido para prestar falsos testemunhos.
O que se seguiu está longe de dignificar a Santa Casa da Misericórdia: gritos e empurrões nos corredores do Lar Nossa Senhora da Encarnação, com o advogado a ‘forçar’ a entrada e o provedor Fernando Lopes a ‘fugir’ pelas escadas abaixo.
Aos jornalistas, Manuel da Fonseca Carreira disse não conseguir fazer valer a sua opinião nas assembleias gerais. Lançou acusações de “prepotência” e “má utilização de dinheiros” contra a mesa dirigida por Fernando Lopes e acusou o vice--provedor José Paixão de assediar a sua ex-mulher. Tudo isto aconteceu antes da conferência de imprensa agendada para as 17h15, durante a qual o provedor Fernando Lopes negou tudo e começou por informar que o inquérito interno relativo à outra queixa de assédio sexual contra o vice-provedor “não concluiu pela veracidade das acusações”.
A funcionária está suspensa e pode vir a ser despedida. José Paixão votou o relatório que arquiva o processo de averiguações contra si.
Presentemente decorre um auditoria às contas da Misericórdia de Leiria e há uma denúncia na Polícia Judiciária.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)